Publicidade

Estado de Minas COBRA NA CIDADE

Jiboias são resgatadas num mesmo local por duas vezes consecutivas

Em poucos dias, moradores de uma mesma residência visualizaram, por duas vezes, duas cobras no jardim; especialistas alertam que período chuvoso faz aumentar o aparecimento de cobras em áreas urbanas


26/10/2020 10:09 - atualizado 26/10/2020 11:11

Cobra do último resgate mediu mais de um metro e meio(foto: 8º BBM)
Cobra do último resgate mediu mais de um metro e meio (foto: 8º BBM)
Pela segunda vez em poucos dias, a equipe do 8º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) já resgatou duas jiboias em uma mesma residência. O endereço do atípico fato fica na Rua Governador Valadares, 921, no Centro de Uberaba, no Triângulo Mineiro.

 

A cobra do último resgate (noite deste domingo, 25), mais uma vez estava no jardim da casa e media cerca de um metro e meio de comprimento. “Ela estava parada, como é de seu hábito, quando nossa equipe a encontrou. Quando ela foi notada pelos moradores também estava imóvel. Com todo o cuidado, ela foi colocada em uma caixa para transporte e de modo profissional foi solta em seu habitat natural”, contou comandante do 8º BBM, o tenente coronel Anderson Passos.

 

O bombeiro alerta sobre os perigos que pessoas sem treinamentos correm ao tentar resgatar este tipo de cobra: “A jibóia caça por constrição, ou seja, não tem veneno, e durante seu ataque ela morde e aperta, quebrando os ossos de sua presa, que morre após ser sufocada. O Corpo de Bombeiros Militar recomenda que nestas situações o morador deve isolar o local e acionar nosso serviço profissional. Basta ligar 193”.


Período chuvoso faz aumentar aparecimento de cobras em áreas urbanas

 

Segundo especialistas, em períodos chuvosos é mais comum encontrar cobras em variados pontos das cidades. Segundo informação divulgada pela professora doutora Maria Ermelinda Oliveira, especialista em animais peçonhentos, através do Portal Amazônia, essa realidade é ocasionada por uma série de motivações.

 

"O período de chuvas é a época que mais há oferta de alimentos, além de ser o período reprodutivo das suas presas. Também é o período de pico de acasalamento para serpentes. Embora o nascimento de filhotes, por exemplo, de uma jararaca ocorra durante o ano todo, também há uma concentração de nascimentos no período de chuvas, pois há mais disponibilidade de pequenos anfíbios e lagartos, os principais itens da dieta dos filhotes de jararaca".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade