Publicidade

Estado de Minas ESTUPRO

Polícia prende padrasto suspeito de sequestrar e estuprar enteada de 13 anos

Menina relata que era violentada desde os nove e recebia ameaças do agressor, que a tratava por 'sua mulher'


19/10/2020 12:19 - atualizado 19/10/2020 13:54

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu, em flagrante, um homem de 34 anos, suspeito de sequestrar e estuprar a enteada de 13. A prisão ocorreu na última sexta-feira, em Belo Horizonte. 

A vítima relatou à corporação que sofria abusos desde os nove anos. A PCMG foi acionada pela mãe da menina que, na noite de quinta-feira (15), informou a um dos agentes que a filha havia sido levada contra a sua vontade pelo ex-companheiro. 

O agressor foi localizado e preso na manhã de sexta numa espécie de depósito, onde trabalhava e residia. Ele responderá pelos crimes de sequestro, cárcere privado e estupro de vulnerável. 

Histórico de violência

O homem era investigado e monitorado desde junho pela Polícia Civil, que já havia pedido a prisão preventiva dele. Com a denúncia da mãe da garota, foi possível prendê-lo em flagrante por cárcere privado. Na noite anterior à detenção, ele cometeu mais um abuso - fato comprovado por meio do exame de corpo de delito da vítima.

Descrito como extremamente violento, o criminoso, segundo a polícia, tinha todas as senhas das redes sociais da garota e tratava mãe e filha como suas propriedades. “Nós obtivemos inclusive um áudio em que ele afirma que ela (a adolescente) 'sabia que ela era mulher dele' e que portanto 'sabia o que poderia acontecer caso ela o traísse'. Ele fez essa mesma ameaça à mãe da menina, tamanha é a ideia desse homem de que as duas eram seus objetos, sobre os quais eles tinha total poder”, relata o delegado Diego Lopes, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA).

De acordo com a PCMG, a mãe tomou conhecimento dos estupros há pouco tempo, quando a filha fugiu de casa. Na ocasião, a jovem deixou uma carta revelando as violências que sofria desde os nove anos. “A mulher então se separou do companheiro, mas ele continuava perseguindo a ela e a adolescente. Descobriu o novo endereço delas e ia atrás. Tanto é que, quando a mãe esteve na delegacia para prestar depoimentos, ele ficou sabendo e esteve lá, fez mais ameaças, puxou o cabelo da adolescente”, conta o delegado Diego Lopes. 

O suspeito nega os abusos. Ele afirmou aos policiais que havia saído com a enteada "apenas para tomar um lanche". Questionado pelos investigadores sobre o áudio contendo ameaças, o agressor afirmou que estava bêbado quando enviou a mensagem. Se condenado, ele pode pegar até 15 anos de prisão.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade