Publicidade

Estado de Minas QUEIMADAS

Ocorrências de incêndios em 2020 podem bater recorde em Minas

Segundo o Corpo de Bombeiros, as máximas de atendimentos de ocorrências foram ultrapassadas três vezes, sendo elas em julho (3.598), agosto (4.039) e setembro (4.832)


07/10/2020 16:34 - atualizado 07/10/2020 16:50

Incêndio que atingiu a Serra do Cipó(foto: Leandro Couri/ EM/ D.A Press)
Incêndio que atingiu a Serra do Cipó (foto: Leandro Couri/ EM/ D.A Press)
O Corpo de Bombeiros divulgou, na manhã desta quarta-feira (7), um balanço sobre os incêndios florestais que castigam Minas Gerais todos os anos. Segundo a corporação, em 2020 as máximas de atendimentos de ocorrências foram ultrapassadas três vezes - em julho (3.598), agosto (4.039) e setembro (4.832). 

Ainda conforme o gráfico de ocorrências analisado pelos bombeiros, em julho a máxima era de 3.597 - um chamado a menos do que neste ano. Assim como o mês anterior, agosto bateu recorde de atendimentos, com 863 a mais que a máxima (3.176). Já setembro foi o mês que apresentou maior crescimento em relação ao pico de ocorrências de queimadas, com 895 além da máxima (3.937). 

A mínima histórica de atendimento a ocorrências de incêndios florestais é de 9.809, estabelecida em 2015. Em contrapartida, a máxima histórica é apontada com 18.657, registrada no ano passado. Já a média histórica está em 13.117. Com as constantes queimadas por todo o território mineiro, os bombeiros já registraram, até o momento, 17.880 ações de combate às chamas. 

De acordo com o comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), Edgard Estevo, se as ocorrências mantiverem o mesmo ritmo em que estão, atingirão o recorde histórico do estado. 

“Nós estamos em outubro de 2020 e já atingimos 17.880 ocorrências atendidas, ou seja, a corporação está atendendo muitas ocorrências neste ano. Nós já passamos da média histórica e entendemos que se continuar como está, vamos fazer deste ano a maior série histórica da corporação”, projetou o Estevo. 

Período de ocorrência

Segundo os bombeiros, nas diversas regiões em que são registradas as ocorrências relacionadas ao tema, “observa-se que o início dos incêndios florestais tem períodos diversos, chegando a uma condição de propícia ao incêndio nos meses de agosto, setembro e outubro, porém, em alguns anos se inicia antes e/ou termina posteriormente”.

É válido destacar que o pico dos atendimentos é às 14h, sendo o dia de domingo contabilizado como o dia da semana com maiores índices de chamado.

Incêndios

A corporação também informou como está a situação dos incêndios de maior destaque nas últimas semanas. Confira: 

Parque Nacional da Serra do Cipó 
 
Data início do incêndio: 28 de setembro
Duração: 10 dias
Situação: debelado
Risco: Incêndio de copa, de grandes proporções, ameaçando áreas de proteção ambiental.

Parque Estadual do Itacolomi 
 
Data início do incêndio: 02 de outubro
Duração: cinco dias
Situação: debelado
Risco: Incêndio de copa, de grandes proporções, ameaçando áreas de proteção ambiental.

Parque Municipal Ursulina de Andrade Mello 
 
Data início do incêndio: 05 de outubro 
Duração: três dias
Situação: em andamento
Risco: Incêndio em áreas de vegetação remanescente de Floresta Tropical dentro de Belo Horizonte.
 
* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade