Publicidade

Estado de Minas

Polícia apreende drogas dentro de escola após espancamento de jovem em BH

Jovem foi torturado e baleado após ser acusado de roubar drogas de grupo criminoso que atua em um aglomerado da região. Duas pessoas foram detidas


06/10/2020 09:39 - atualizado 06/10/2020 10:05

Material apreendido pela PM(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Material apreendido pela PM (foto: Polícia Militar/Divulgação)


O espancamento de um jovem de 18 anos nessa segunda-feira levou a polícia a apreender uma grande quantidade de drogas, munição e à prisão de duas pessoas no Bairro Primeiro de Maio, na Região Norte de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar, parte das drogas estava escondida em uma escola pública. 

A ocorrência começou pela manhã quando a PM recebeu a denúncia de que uma pessoa havia sido baleada no aglomerado do Miolo. O pai da vítima contou que o filho chegou em casa com muitos ferimentos e disse ter sido torturado após o extravio de uma carga de drogas. Um dos homens atirou em uma das mãos dele e, em seguida, o rapaz foi liberado. 

O jovem foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. Lá, ele também disse aos policiais que foi punido pelo grupo após ser acusado de roubar drogas. Além do tiro, ele levou pauladas na cabeça e nos braços. De acordo com a PM, diante da situação, eles disseram que iam informar onde estavam as drogas escondidas pelo grupo.

Parte delas foi apreendida em uma escola pública na Avenida Cristiano Machado, fechada por conta da pandemia da COVID-19. Um funcionário autorizou a entrada da polícia, que acabou localizando drogas e munição escondidas em uma estrutura metálica no telhado, local de difícil acesso. 

Ainda na escola, eles encontraram um dos suspeitos, que disse que estava no local para dormir. No entanto, momentos antes ele já havia sido abordado pelos policiais. Esse homem foi apontado como olheiro dos traficantes e que estaria no local para vigiar as drogas. Ainda de acordo com a PM, esse homem disse que o rapaz agredido “estava errado”, e insinuou que quase foi morto após defende-lo. Nisso, de acordo com a PM, pai e filho já estavam recebendo ameaças pelo celular. 

Eles ainda passaram pelas casas de outros suspeitos e localizaram drogas em uma delas, que estava vazia. Nas demais, nada ilícito foi encontrado. A segunda pessoa que foi detida pela polícia é irmã de um dos homens que estaria envolvido na agressão e esposa de outro suspeito. Ela foi abordada pela polícia após denúncias de populares dando conta que ela vigiava a movimentação. Inicialmente ela negou, mas, conforme a PM, acabou confirmando que estava lá para avisar da presença dos policiais ao companheiro. Na casa dela foram apreendidos cigarros de maconha que ela disse ser para uso próprio. 

O trabalho dos policiais só terminou na madrugada desta terça-feira. Ao todo, foram apreendidas onze barras de maconha, 58 porções da mesma droga, um pote plástico e outro recipiente com mais maconha, 1.172 buchas da droga e cinco cigarros. Também foram recolhidos 926 pinos de cocaína, 44 munições calibre 9 milímetros, um celular e R$ 31 em dinheiro. Os envolvidos e o material apreendido foram encaminhados à Polícia Civil. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade