Publicidade

Estado de Minas CRESCIMENTO

Dados apontam explosão de registros de novas armas em Minas

Autorizações para posse de armas de fogo contabilizadas até agosto de 2020 no estado já superam o total do ano passado


05/10/2020 16:33 - atualizado 05/10/2020 16:53

Número de novas armas registradas neste ano em Minas já supera o total do ano passado(foto: Pilar Olivares/Agência Brasil/Reprodução)
Número de novas armas registradas neste ano em Minas já supera o total do ano passado (foto: Pilar Olivares/Agência Brasil/Reprodução)
O número de registros de novas armas por cidadãos em Minas Gerais realizados até agosto deste ano já supera o total acumulado em todo o ano passado, segundo dados do Sistema Nacional de Armas (Sinarm), órgão ligado à Polícia Federal (PF), obtidos pela agência Fiquem Sabendo, por meio da Lei de Acesso à Informação.

 

De janeiro até agosto de 2020, foram efetivadas 8.837 inscrições de posse de armas no estado por cidadãos comuns. O número é superior ao total observado em 2019, quando foram registradas 7.235 novas armas em Minas durante todo o ano.

 

Quando comparados ao mesmo período (janeiro a agosto) do ano passado, os dados de 2020 demonstram um aumento de mais de 120%.

 

Não entram nessas estatísticas os profissionais que necessitam do porte por exercício de função, como policiais, promotores e juízes, e por atividade de subsistência, como caçadores licenciados e revendedores.

 

Os registros notados em Minas até agosto do ano corrente superam os de São Paulo, estado mais populoso do país, e só são menores do que os apontados no Rio Grande do Sul.

 

A “posse de arma” é documento que permite a cidadãos que cumpram determinados requisitos, como aptidão psicológica e capacidade técnica atestadas pela PF, ter armas de fogo e munições em casa, de forma legalizada e registrada. As normas vigentes autorizam a compra de quatro armas de fogo de baixo calibre por pessoa e 600 cartuchos de munição por ano para cada arma em posse.

 

Os números observados em Minas Gerais vão de encontro à explosão nacional, onde houve aumento de quase 200% na emissão de posse de armas no primeiro semestre de 2020.

O avanço coincide com a edição de decretos do governo federal que flexibilizaram o acesso às armas, uma das principais bandeiras de campanha do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

 

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade