Publicidade

Estado de Minas CRIME

Homem que teve corpo incendiado na Lagoinha, em BH, corre risco de morte

Atentado aconteceu de madrugada e não existe ainda um suspeito da autoria


02/10/2020 18:05 - atualizado 02/10/2020 18:40

Com 55% do corpo queimado, homem está internado, em estado grave, no HPS(foto: Leonardo Alvarenga/Divulgação)
Com 55% do corpo queimado, homem está internado, em estado grave, no HPS (foto: Leonardo Alvarenga/Divulgação)
É grave o quadro de Ricardo Viriato, de 57 anos, morador de rua, que teve 55% do corpo queimado e está internado, em estado grave, no CTI de Queimados do Hospital de Pronto Socorro (HPS) –referência nesse tipo de tratamento em Minas Gerais e no Brasil.

O crime aconteceu durante a madrugada, quando atearam álcool e, em seguida, fogo no corpo da vitima. Ricardo dormia debaixo do viaduto existente na Rua Além Paraíba, no Bairro Lagoinha, Região Noroeste de BH.

Outros moradores de rua apagaram o fogo. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado por volta das 4h. Os médicos prestaram os primeiros socorros e em seguida levaram Ricardo para o HPS.

O trabalho da polícia, agora, é tentar identificar desafetos da vítima. Existe, por coincidência, uma ocorrência de furto dentro de um coletivo, que atende ao Bairro São Bento. 

O ônibus passava pela Rua Curitiba, Centro de BH, e um homem, com o mesmo nome da vítima foi detida por um passageiro. Segundo consta na ocorrência da PM, R.V.S. abriu a bolsa de uma mulher e retirou a carteira de dinheiro.

Um passageiro, identificado por T, agarrou o autor do furto e o manteve imobilizado até a chegada da polícia. O ladrão foi levado para o Ceflan 2, no entanto, não se sabe se ele teria ou não sido liberado.

Reincidência no Centro de BH


Este não é o primeiro caso de uma pessoa incendiada no Centro de BH. Em 22 de julho deste ano, um casal estava bebendo e consumindo drogas e acabou brigando. O homem ateou fogo na companheira, de 47 anos, fugindo em seguida.

Os dois eram moradores de rua e o motivo da briga seria a discordância de onde iriam dormir naquela noite.

O atentado aconteceu debaixo do Viaduto Murilo Rubião, na Lagoinha. A mulher teve 90% do corpo queimado, mas sobreviveu.

Em 13 de outubro do ano passado, no Carlos Prates, um homem teve 80% do corpo queimado. O agressor usou gasolina para cometer o crime.

Em outubro de 2012, um cadeirante morreu carbonizado na Praça do Peixe(foto: Reprodução TV Alterosa)
Em outubro de 2012, um cadeirante morreu carbonizado na Praça do Peixe (foto: Reprodução TV Alterosa)


Em 19 de outubro de 2012, o crime mais violento. Debaixo de um dos viadutos da Praça do Peixe, no Bairro Bonfim, um homem, cadeirante, morreu carbonizado ao ter a sua barraca incendiada por um agressor que usou gasolina. Ele estava dentro da barraca.

Uma testemunha contou que viu um homem correndo, com a camisa na cabeça para tampar o rosto. Ele tinha queimaduras pelo corpo. O agressor não foi identificado até hoje.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade