Publicidade

Estado de Minas TRAGÉDIA

Homem morre após ser atropelado por trem em Uberaba

Segundo informações, o maquinista ainda tentou acionar os freios ao visualizar o homem atravessando a linha férrea. A Polícia Civil vai investigar as causas do acidente


01/10/2020 12:30 - atualizado 01/10/2020 12:43

O óbito da vítima foi constatado no local (foto: 8º BBM/Divulgação)
O óbito da vítima foi constatado no local (foto: 8º BBM/Divulgação)
Um homem, ainda não identificado, morreu na manhã desta quinta-feira (01), depois de ser atropelado por uma composição ferroviária que passa ao lado da última rua do Bairro Rio de Janeiro, em Uberaba.

De acordo com o comandante do 8º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM), o tenente coronel Anderson Passos, não se sabe quais foram as causas do atropelamento, ou seja, se a vítima não viu ou ouviu o trem ao atravessar a linha férrea, se foi um autoextermínio ou se ela teria escorregado por um barranco, de cerca de dois metros, ao lado do local.
Para a retirada do corpo debaixo do trem foi necessária técnicas de rapel(foto: 8º BBM/Divulgação)
Para a retirada do corpo debaixo do trem foi necessária técnicas de rapel (foto: 8º BBM/Divulgação)
“A vítima sofreu várias amputações. Estava com o rosto, braço e pernas mutilados. O local foi de difícil acesso para a retirada do corpo e, desta forma, precisamos do uso de cordas. Foi necessário descer a equipe de perícia com técnicas de rapel. As cordas foram presas na viatura, estrategicamente posicionada”, informou Passos.

A perícia técnica da Polícia Civil realizou os seus trabalhos de praxe e, agora será investigado qual foi a causa do atropelamento.
A linha férrea é de responsabilidade da Valor da Logística Integrada (VLI). Por meio de nota, a VLI lamentou a ocorrência e esclareceu que “o condutor da locomotiva acionou os freios de emergência de imediato, assim que avistou o pedestre se deslocando em direção aos trilhos. A empresa enfatiza que a travessia deve ser feita pelos locais sinalizados e ao atravessar a via férrea é extremamente importante que motoristas e pedestres sigam as orientações de 'pare, olhe e escute'. Ao acionar os freios de emergência, uma composição pode se deslocar por até 1 (um) quilômetro até parar totalmente".

O comandante do 8º BBM ressaltou que o Corpo de Bombeiros Militar recomenda que as travessias sejam feitas em locais adequados, sinalizados e com a cautela de ouvir e observar a aproximação de composições férreas, que demoram centenas de metros e vários segundos para poder parar.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade