Publicidade

Estado de Minas DENÚNCIAS

Idoso é preso suspeito de abusar de fiéis durante atendimentos espirituais

Com o discurso de que as roupas estavam atrapalhando os procedimentos, o homem pedia que as vítimas ficassem nuas, momento em que cometia os crimes


29/09/2020 13:58 - atualizado 29/09/2020 14:17

O homem dizia que as roupas atrapalhavam os procedimentos espirituais e, por isso, as vítimas deveriam tirá-las(foto: Divulgação/ Prefeitura de Januária)
O homem dizia que as roupas atrapalhavam os procedimentos espirituais e, por isso, as vítimas deveriam tirá-las (foto: Divulgação/ Prefeitura de Januária)
Um idoso de 66 anos foi preso suspeito de abusar sexualmente de fiéis durante atendimentos espirituais. Ele foi detido no último sábado (26), no distrito de São Joaquim, na comunidade Fazenda Picos, pertencente à cidade de Januária, no Norte de Minas Gerais, quando a Polícia Civil realizou a operação “O Aprendiz”, após comprovação de denúncias de duas vítimas.  
 
Segundo a polícia, após as denúncias, a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) em Januária iniciou, de imediato, as investigações sobre os fatos, identificando o suspeito. Inicialmente, ficaram comprovados pelo menos dois casos de abuso sexual durante os atendimentos do homem, mas ao longo das apurações novas denúncias foram feitas à Polícia Civil. 

Algumas vítimas relataram que teriam sentido vergonha do ocorrido e, por isso, não teriam procurado a polícia anteriormente. 

Policiais civis se deslocaram à Fazenda Picos, onde o suspeito foi preso preventivamente. Na ocasião, ele estava contando valores, que possivelmente pertencia às pessoas atendidas antes da chegada da polícia.

O suspeito foi conduzido para o sistema prisional e está à disposição da Justiça.

Atendimentos 

Ainda de acordo com a polícia, os “atendimentos espirituais” eram feitos na residência dele, na cidade de Arinos, e a convite de um possível curador passou a realizá-los também na cidade de Bonito de Minas e no distrito de São Joaquim.

Para cometer os crimes, o homem dizia às vítimas que as roupas estavam atrapalhando os procedimentos e, por essa razão, deveriam ficar nuas durante o processo. Além disso, ele derramava líquidos no corpo das vítimas para que elas não negassem a despir-se. 

Já os pagamentos dos atendimentos eram feitos em dinheiro ou em formas alternativas, como farinha, feijão, milho e animais, como porcos e galinhas. 

Eram prometidas curas espirituais, físicas e ainda desembaraços na vida profissional e amorosa.

Operação

A operação “O Aprendiz” recebeu esse nome em alusão ao famoso caso do médium João de Deus. Assim como o suspeito, ele abusava da confiança, fragilidade emocional e desespero em busca de cura e aproveitava para cometer crimes como curandeirismo, charlatanismo e abusos sexuais. 
 
* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade