Publicidade

Estado de Minas

Mulher cai sobre o filho de 11 meses; suspeita é de que ela tenha usado droga e remédio controlado

Criança foi levada em estado grave ao Hospital João XXIII. Os pais seriam levados a uma delegacia


21/09/2020 08:39 - atualizado 21/09/2020 09:38

Fachada do Hospital João XXIII, na Região Centro-Sul da capital, onde o menino foi internado(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Fachada do Hospital João XXIII, na Região Centro-Sul da capital, onde o menino foi internado (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)


Uma criança de 11 meses ficou gravemente ferida após ser atingida pela mãe, de 25 anos, que sofreu uma queda neste fim de semana no Bairro Céu Azul, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte. A suspeita é de que a jovem tenha feito uso de loló e também teria sido medicada com um calmante pelo companheiro, de 31 anos. O caso será investigado.

De acordo com a Polícia Militar (PM), na tarde do último sábado, o homem chegou com o filho nos braços a uma base de apoio que fica no bairro. Ele pedia socorro porque o menino estava com uma lesão na cabeça e inconsciente. A mãe havia caído sobre ele.

Os policiais chamaram reforços e levaram a criança à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Justinópolis. Ele foi intubado pela equipe médica e transferido ao Hospital João XXIII, onde ficou internado com o pai como acompanhante. A instituição não divulga o estado de saúde dos pacientes internados. 

A polícia foi ao endereço da família da mãe para apurar mais detalhes. Chegando lá, o tio dela autorizou a entrada. Uma outra mulher também estava na casa e disse ter visto quando o pai do menino saiu para buscar ajuda. 

Ao entrar no imóvel, os policiais encontraram a jovem sentada em um sofá bem debilitada. Ela estava grogue e falava com a voz embolada. De acordo com a PM, ela disse que usava a droga, ficou tonta e caiu sobre o filho. Os policiais foram orientados a levar a suspeita a uma delegacia, mas por conta do estado de saúde dela, resolveram passar pela UPA Venda Nova. 

Na unidade, conforme a PM, a outra testemunha disse ao parente da jovem que ela também teria tomado diazepam, oferecido pelo companheiro dela em um copo de suco. O médico disse que a única coisa a fazer seria hidrata-la e aguardar o efeito chegar ao fim. 

Os policiais voltaram ao João XXIII e questionaram o companheiro dela sobre a situação. Ele disse que possui a receita para a medicação da mulher. O rapaz também seria encaminhado a uma delegacia posteriormente. 

Nesta segunda-feira, a Polícia Civil informou que recebeu a ocorrência na Delegacia de Plantão da Região Noroeste e instaurou procedimento para apurar os fatos. O caso será investigado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade