Publicidade

Estado de Minas REAÇÃO

Governo de Minas promete resposta contra ataques a ônibus na RMBH

Chefe do Gabinete Militar do Estado afirma que já foram identificados suspeitos dos ataques


17/09/2020 18:15 - atualizado 17/09/2020 21:05

Local onde um ônibus da linha Pedra Branca foi incendiado na noite do dia 16/9, em Ribeirão das Neves(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Local onde um ônibus da linha Pedra Branca foi incendiado na noite do dia 16/9, em Ribeirão das Neves (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

As forças de segurança de Minas Gerais estão agindo duramente contra mandantes e autores dos ataques a ônibus na Região Metropolitana de Belo Horizonte, com um trabalho de identificação e punição aos responsáveis. A informação foi dada nesta quinta-feira (17) pelo governador Romeu Zema (Novo), juntamente com o chefe do Gabinete Militar do Estado, coronel Osvaldo de Souza Marques.

 

O chefe do Gabinete Militar lembrou que alguns responsáveis pela queima dos ônibus foram identificados e presos. Ele procurou tranquilizar a população: “Minas é um dos estados mais seguros para se viver, para se empreender e para se trabalhar. E vai continuar assim. Aqui, a gente não aceita infratores. A gente aceita legalidade, justiça e segurança”.

Para o coronel Osvaldo, trata de “ação pontual”. Em menos de sete dias, cinco coletivos foram incendiados na Região Metropolitana.

Na noite de quarta-feira (16), o ônibus metropolitano da linha 607 (Estação Vilarinho/Esplendor) foi queimado por quatro homens encapuzados e armados c om submetralhadoras. As ordens para as ações criminosos teriam partido de detentos da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, que reivindicam melhor tratamento na prisão.

 

Em entrevista coletiva, durante visita a Montes Claros, no Norte de Minas, nesta quinta, Romeu Zema assegurou que as forças de segurança do Estado reforçaram o policiamento nas “regiões mais propensas” aos ataques aos ônibus.

 

Ele salientou que foi apurado que as ordens para os ataques aos coletivos partiram de “alguns presídios” e que os responsáveis estão sendo identificados e serão colocados em isolamento para evitar que continuem comandando as ações de dentro das prisões.

“Com certeza, os líderes estão coordenando esse tipo de ação vão ter aí um tratamento devido no sentido de ter um maior isolamento”, informou Zema, enfatizando que os ataques a ônibus por criminosos tiveram maior incidência em Minas no passado; que não foram registrados em 2019 e também não tinham ocorrido em 2020, até então.  

Serviço de inteligência

 

 

O coronel Osvaldo acrescentou que, em serviço de inteligência, a partir de ação integrada das Policias Militar e Civil e da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), com o apoio do Ministério Público Estadual (MPMG), foram “mapeados” e identificados diversos suspeitos dos ataques aos ônibus na Região Metropolitana de BH nos últimos dias. 

 

“Essa é uma questão grave, mas uma questão pontual. Inclusive, alguns suspeitos já foram presos. Nós também temos mapeados alguns alvos que seriam os mandantes desses ataques”, revelou. 

 

“A atuação da Polícia Militar dentro da legalidade e transparência será alvo de respostas nos próximos dias, para a população e para Minas Gerais”, assegurou o chefe do Gabinete Militar do Governador


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade