Publicidade

Estado de Minas Grande BH

Prudente de Moraes registra a primeira morte por COVID-19

Mulher de 91 anos tinha saúde debilitada, agravada pela COVID-19; Secretaria de Saúde alerta população para que tenha mais cuidado com os idosos


15/09/2020 18:50 - atualizado 15/09/2020 20:08

Prudente de Moraes apresentou primeiro caso de óbito desde o início da pandemia(foto: Prefeitura de Prudente de Moraes/Divulgação)
Prudente de Moraes apresentou primeiro caso de óbito desde o início da pandemia (foto: Prefeitura de Prudente de Moraes/Divulgação)
 

Uma mulher de 91 anos foi a primeira morte confirmada por COVID-19 em Prudente de Moraes, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Secretaria de Saúde, a idosa já apresentava saúde debilitada desde outubro de 2019, apresentando hipertensão e hiperglicemia. Em maio deste ano, ela foi diagnosticada com um carcinoma de mama e, desde então, iniciou tratamento oncológico. 

 

No início de setembro, ela foi levada pela família ao pronto-atendimento do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Sete Lagoas, e lá foi diagnosticada com COVID-19. Como já tinha outras doenças que podiam comprometer ainda mais o seu quadro, a idosa foi internada e morreu no último final de semana.

 

A Secretaria de Saúde de Prudente de Moraes divulgou nota sobre o o caso e reforçou os alertas sobre os cuidados de prevenção à COVID-19. "Este fato nos alerta e nos mostra o quão grave é a doença. Precisamos estar atentos aos cuidados básicos de higienização das mãos, uso do álcool em gel. Evitar aglomerações, manter o distanciamento, fazer uso de máscara rigorosamente conforme dispõe o Decreto Municipal", afirma a secretária municipal de Saúde, Maria Ângela de Avelar Nogueira.


Ela também alerta para a necessidade de proteger os mais vulneráveis. “Hoje temos  em monitoramento 35 casos considerados suspeitos, a maioria são mais jovens, menos de 50 anos, pessoas que apresentam sintomas leves e até assintomáticos. Os assintomáticos são os casos que merecem mais atenção pois eles propagam a doença sem saber e uma simples visita na casa de um familiar idoso, pode colocar a vida dele em risco. Devemos proteger a gente e principalmente os outros”, orienta a secretária.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade