Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Morte de recém-nascido vai parar na Delegacia de Ibirité

Pai e mãe entendem que houve erro médico; pai queria que fosse feita uma cesárea, mas mãe já estaria em trabalho de parto adiantado


05/09/2020 10:03 - atualizado 05/09/2020 10:47

(foto: Facebook/Reprodução )
(foto: Facebook/Reprodução )
O nascimento e morte de uma criança, no Hospital e Maternidade Regional de Ibirité, virou caso de polícia. Os pais da criança acusam o estabelecimento de negligência. A causa da morte do bebê seria uma deficiência cardíaca.

A história de final triste teve início no início da noite de sexta-feira (4), quando A.L., de 19 anos, deu entrada na maternidade, em trabalho de parto, levada pelo marido, O., de 20.
A equipe médica levou A.L. para a sala de parto e, ao examiná-la, viu que a criança estava para nascer. Os médicos fizeram o exame de batimento cardíaco fetal (BCF), em que constataram que estaria tudo normal. A equipe, então, optou pelo parto natural.

O., por sua vez, acreditava que deveria ser feita uma cesárea. No parto, foi necessário o uso de fórceps para o nascimento do bebê, mas tão logo nasceu, segunda a equipe medica, sofreu uma parada cardíaca. Os médicos tentaram reanimá-la, mas não conseguiram.

O., revoltado, acionou a Polícia Militar, entendendo que houve um erro médico. A PM fez o registro da ocorrência na delegacia local. O corpo do recém-nascido foi encaminhado para o IML. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade