Publicidade

Estado de Minas NOVIDADE

Tour virtual permite conhecer a Gruta Rei do Mato, em Sete Lagoas

Fechada desde o fim de março por causa da COVID-19, gruta usa a tecnologia para universalizar o acesso ao ponto turístico na semana em que o monumento natural comemora 11 anos


27/08/2020 13:29 - atualizado 27/08/2020 13:43

A Gruta Rei do Mato possui formações espeleológicas de estalagmite e estalactite raras em todo o mundo(foto: Divulgação/Evandro Rodney)
A Gruta Rei do Mato possui formações espeleológicas de estalagmite e estalactite raras em todo o mundo (foto: Divulgação/Evandro Rodney)
Uma das cavernas mais visitadas do Brasil fica em Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mas, desde o fim de março, turistas estão proibidos de visitar o Monumento Natural Estadual Gruta Rei do Mato

Nesta semana, o ponto turístico está completando 11 anos e, para comemorar a data, pessoas do mundo inteiro poderão conhecer as maravilhas da unidade de conservação por meio de um tour virtual. A novidade também vai possibilitar que cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzidas tenha a oportunidade de conhecer o espaço natural, uma vez que os turistas precisam vencer 131 degraus com um desnível de 30 metros.

Um vídeo, com imagens em 360 graus, permite ao visitante entrar na caverna usando óculos de realidade virtual e um celular para essa tecnologia. A novidade é fruto de um projeto de mestrado do Centro Universitário de Sete Lagoas (Unifemm).

O projeto foi desenvolvido pelo biólogo Wanderson Renato Silva de Jesus, que agora é mestre em biotecnologia e gestão da inovação, e surgiu com a ideia de ampliar a visitação da unidade de conservação gerenciada pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF).

O diretor-geral do órgão, Antônio Malard, destacou a importância do projeto para a inclusão como uma iniciativa de inclusão social. “Este projeto é uma porta aberta a todas as pessoas, inclusive aquelas que possam ter alguma dificuldade para acesso. Ele se soma a uma iniciativa já bem-sucedida nos parques estaduais do Ibitipoca e Itacolomi, que são as cadeiras Juliettis, adaptadas para pessoas com dificuldade de locomoção. No IEF, são várias as iniciativas que pretendemos colocar em prática, para trazer mais acessibilidade nas áreas de uso público de nossas unidades de conservação.

O vídeo está disponível no canal Meio Ambiente Minas Gerais no Youtube, do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). Nesse caso, o visitante virtual precisa usar o mouse para arrastar a imagem e ter a dimensão em 360 graus, ou então movimentar o telefone, caso esteja visualizando de algum smartphone.

A experiência com os óculos, que poderá ser testada quando a visitação nas unidades de conservação for retomada, permite a imersão mais completa, com movimentos com a cabeça para visualizar o passeio e visão em três dimensões.


Origem do projeto

Segundo o autor do projeto, uma das motivações partiu de dentro de casa. Seu filho é alérgico e isso o impossibilita de conhecer as cavernas de Minas Gerais.

“É muito comum nós termos situações de uma família, por exemplo, que vai visitar uma unidade como a Gruta Rei do Mato e uma das pessoas usa muleta, ou é cadeirante, ou pode ter fobia de permanecer em lugares fechados, ou qualquer outra situação. Nesse caso, uma parte da família ia fazer o passeio e outras pessoas ficariam impedidas de entrar por questões pessoais. Então, começamos a pensar como elas poderiam ter uma experiência de visitação. Foi aí que decidimos usar os recursos virtuais. Enquanto estivessem esperando, poderiam conhecer os espaços”, afirma.

Para garantir essa possibilidade, o projeto contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e também da Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento (Faped). Os equipamentos adquiridos para o projeto, como a câmera 360 graus, os óculos de realidade virtual e o celular compatível com essa tecnologia foram doados à unidade de conservação. O vídeo produzido, com a visita pelos quatro salões da Gruta Rei do Mato abertos à visitação, assim como da caverna anexa conhecida como Grutinha, conta também com narração com as informações completas que são passadas aos turistas em uma visita presencial.

A gerente da Gruta Rei do Mato, Maria Honorina Pereira Rocha, conta que essa era uma ideia antiga da administração da unidade, por conta da quantidade de pessoas que frequentemente chegavam para visitar, mas não tinham condições. A visitação conta com 200 metros iniciais de caminhada e depois mais 220 metros que contemplam um desnível de 30 metros com 131 degraus.

“A minha sensação é de satisfação, de poder contribuir para levar o conhecimento científico para as pessoas que antes não tinham acesso a ele, de uma forma diferente, de um jeito inovador, com mais interação. Poder contribuir para trazer a inclusão me deixa muito satisfeito”, acrescenta Wanderson. 

A Gruta Rei do Mato

O Monumento Natural Estadual Gruta Rei do Mato situa-se na região conhecida como Carste de Lagoa Santa e é uma das cavernas mais visitadas do Brasil. Ele faz parte da Rota Lund, composta também pelo Parque do Sumidouro, onde fica a Gruta da Lapinha, em Lagoa Santa, e pelo Monumento Natural Estadual Peter Lund, onde está a Gruta de Maquiné, em Cordisburgo. A Gruta Rei do Mato possui formações espeleológicas de estalagmite e estalactite raras em todo o mundo.

Há duas versões para o curioso nome da caverna. Em uma delas, conta a história de que, em meados dos anos 1930, os moradores teriam avistado um homem alto, loiro, de cabelos e barbas longas que frequentava a floresta e a gruta. Uma outra versão conta sobre um homem diferente, magro, moreno, de cabelos curtos, conhecido como Milito Pato, que teria habitado no primeiro salão da gruta. Em ambos os casos, o personagem da história teria sido apelidado de o “Rei do Mato”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade