Publicidade

Estado de Minas PARALISAÇÃO

Policiais civis do Triângulo protestam contra o governo estadual

Centenas de policiais civis do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba não estão atendendo o público nesta quarta-feira (26)


26/08/2020 13:30 - atualizado 26/08/2020 13:53

Dezenas de policiais civis de Uberaba protestaram em frente da Delegacia Regional de Polícia Civil(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Dezenas de policiais civis de Uberaba protestaram em frente da Delegacia Regional de Polícia Civil (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Como forma de protesto ao projeto de Reforma da Previdência (PEC 55/2020), que deve ser encaminhada ainda nesta quarta-feira pelo governo estadual à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), policiais civis de algumas cidades mineiras, como Uberaba, Uberlândia, Araxá, Ituiutaba e Patos de Minas decidiram trabalhar somente internamente e não atender ao público.
Desta forma, as delegacias e o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran - MG) estão fechados. Já as delegacias de plantão atendem nesta quarta-feira apenas emergências e um caso por vez. O Instituto Médico Legal (IML) funciona somente para urgência e o Instituto de Criminalística abrirá suas portas somente para casos de crimes violentos.
 
Em Uberaba, em frente à Delegacia Regional de Polícia Civil, dezenas de policiais civis se reuniram com cartazes de protesto. Segundo Mariana Pontes, delegada responsável pela Delegacia de Orientação e Proteção à Família em Uberaba, os trabalhos em todas as delegacias da cidade estão sendo feitos internamente, conforme orientação dos sindicatos. “Hoje, na nossa delegacia, só medidas protetivas de urgência para o público”, contou.
 
De acordo com um policial civil de Uberaba, que preferiu não se identificar, ele e os parceiros de trabalho estão protestando, principalmente contra a proposta do governo estadual de aumentar as alíquotas de desconto, em cerca de 20%, de acordo com o regime de previdência do Estado. “Com isso, a gente perde muitos direitos trabalhistas, como paridade para se aposentar. Perde também uma pensão compatível ao que trabalhamos”, disse.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais, informou que “qualquer serviço que, porventura, tenha sido prejudicado, está sendo reagendado de forma que a remarcação não traga prejuízo para o cidadão. O efetivo está mantido conforme determina a legislação”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade