Publicidade

Estado de Minas SUL DE MINAS

COVID-19: júris presenciais são retomados em Varginha com crime de feminicídio

Julgamento segue as medidas de prevenção contra o novo coronavírus; motoboy vai a júri popular por matar a ex-companheira


25/08/2020 12:01 - atualizado 25/08/2020 12:26

Júris presenciais em Varginha são retomados (foto: FÓRUM/divulgação)
Júris presenciais em Varginha são retomados (foto: FÓRUM/divulgação)
As sessões presenciais de julgamento de réus do Tribunal de Júri da Comarca de Varginha, no Sul de Minas, foram retomadas nesta terça-feira (25). De acordo com a assessoria de imprensa, o júri popular é sobre um crime de feminicídio, que teve muita repercussão na cidade. 

 

Primeira audiência acontece no auditório da Faculdade de Direito de Varginha (FADIVA)(foto: Google Street View)
Primeira audiência acontece no auditório da Faculdade de Direito de Varginha (FADIVA) (foto: Google Street View)
As atividades vão seguir as medidas de prevenção contra o novo coronavírus. “Como é necessário um espaço mais amplo para os trabalhos, a primeira audiência acontece no auditório da Faculdade de Direito de Varginha (FADIVA)”, afirma nota enviada pela assessoria.

 

De acordo com a nota, apenas familiares da vítima, do réu e estudantes de direito tiveram a entrada permitida e, ainda assim, respeitando o distanciamento mínimo.

 

O caso vai ser decidido pelo juiz José Paulino de Freitas Neto, da 2ª Vara Criminal de Varginha.

 

CRIME

 

Luciano Eduardo Inácio vai a júri popular pela morte da ex-companheira(foto: TV Alterosa Sul de Minas)
Luciano Eduardo Inácio vai a júri popular pela morte da ex-companheira (foto: TV Alterosa Sul de Minas)
O motoboy Luciano Eduardo Inácio é suspeito de matar a ex-companheira, Ana Caroline Anselmo da Silva, de 24 anos. De acordo com a polícia, a jovem morreu após levar várias facadas, em abril do ano passado. Tudo aconteceu dentro da casa da vítima, no Bairro Vila Mendes.

 

As investigações apontaram que Ana Caroline e Luciano moraram juntos por três meses. Na época do crime, eles tinham se separado, mas o suspeito não teria aceitado o fim do relacionamento. Segundo a polícia, a jovem foi surpreendida na garagem de casa, quando voltava da padaria. Ana Carolina teria sido morta em frente dos filhos.

 

Ainda de acordo com a polícia, Luciano fugiu após o crime e se apresentou na Delegacia de Polícia Civil de Varginha dois dias após ter cometido o assassinato. “Durante o interrogatório, ele confessou o caso. Disse que queria reatar o relacionamento, mas não conseguiu. As discussões começaram no dia anterior ao crime”, explica a delegada, Geny Rodrigues Azevedo.

 

Esse caso foi o primeiro feminicídio que aconteceu em 2019 na cidade.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade