Publicidade

Estado de Minas SUS EM BH

BH gasta mais com saúde que valor médio aplicado por grandes cidades brasileiras

Números entregues ao Ministério da Saúde apontam que a capital investiu, em 2019, R$ 519,05 por habitante


14/08/2020 14:42 - atualizado 14/08/2020 14:53

Hospital do Barreiro foi completamente ativado há cerca de três anos.(foto: Paulo Filgueiras/EM/D. A Press)
Hospital do Barreiro foi completamente ativado há cerca de três anos. (foto: Paulo Filgueiras/EM/D. A Press)
No ano passado, 21,87% dos recursos oriundos de tributos recolhidos pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) foram aplicados na saúde pública. Dados do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS), gerido pelo Ministério da Saúde, apontam que o Executivo belo-horizontino investiu R$ 519,05 para cada um dos habitantes da capital.

Em média, as cidades com mais de 1 milhão de cidadãos gastaram R$ 433,53 por pessoa. A Constituição Federal determina que cada município brasileiro deve investir ao menos 15% da sua arrecadação. O percentual aplicado por BH, portanto, está acima do mínimo legal.

Em comparação ao valor médio das outras cidades com mais de 1 milhão de habitantes, a capital mineira gasta cerca de 20% a mais com saúde. Minas Gerais, por sua vez, aplicou R$ 319 por cada habitante do estado. O valor é 12% inferior à média das 27 unidades federativas.

Para o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, os valores empenhados têm reflexo, sobretudo, na postura da cidade ante a pandemia do novo coronavírus.

 

“Agora, com a pandemia, vemos o resultado desses investimentos. Com a rede de saúde estruturada, uma atenção primária forte, equipe qualificada e capacitada, iniciamos a preparação para enfrentamento à COVID-19 em fevereiro. As ações executadas por BHte garantiram atendimentos a todos os pacientes que procuraram e precisaram de assistência na rede municipal. E isso só foi possível devido ao investimento que, desde 2017, a Prefeitura tem feito na saúde”, diz, mencionando, também, os recursos extras aplicados por conta da infecção .

Segundo o governo de Alexandre Kalil (PSD), os gastos com saúde foram destinados, sobretudo, à expansão dos atendimentos nos postos de saúde, por meio da ampliação dos quadros de pessoal. Há, de acordo com a saúde municipal, 40 novos postos em construção.

Em 2017, o Hospital do Barreiro, cujo nome oficial homenageia o ex-prefeito Célio de Castro, passou a funcionar integralmente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade