Publicidade

Estado de Minas

Bolsa Moradia vai atender mais 800 famílias em situação de rua de BH

A inserção dos novos beneficiados no programa deve se estender até 2021 e vai liberar mais vagas nos abrigos municipais


12/08/2020 09:13 - atualizado 12/08/2020 09:21

Abrigo Anita Gomes dos Santos, antigo hotel no Centro de Belo Horizonte(foto: Amira Hissa/PBH - 20/3/2017)
Abrigo Anita Gomes dos Santos, antigo hotel no Centro de Belo Horizonte (foto: Amira Hissa/PBH - 20/3/2017)

O Programa Bolsa Moradia, da Prefeitura de Belo Horizonte, será ampliado para mais 800 famílias em situação ou com trajetória de vida nas ruas. O anúncio foi feito pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC) e a Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte (Urbel). 

“O primeiro grupo de beneficiários é formado por 350 famílias (cerca de 500 pessoas) que vivem em abrigos municipais. São grupos familiares formados por adultos, crianças, idosos e pessoas com deficiência com trajetória de vida nas ruas e que estão construindo uma nova etapa de vida”, detalha a prefeitura. “O segundo grupo é composto por 450 pessoas que utilizam cotidianamente os serviços de pernoite em abrigos municipais e buscam uma oportunidade de sair das ruas. A maior parte dessas pessoas tem algum trabalho formal ou informal e utiliza os abrigos como referência de endereço”, afirma o município.

As pessoas e grupos familiares que serão atendidos nesta fase já foram habilitados e classificados para o programa. Com o atendimento deles, haverá liberação de vagas nos abrigos municipais Granja de Freitas, Pompéia, Anita Gomes dos Santos, Unidade de Acolhimento para Mulheres, Maria Maria, Fábio Alves, Reviver, São Paulo e Tia Branca.

O Executivo municipal prevê que a inserção dos novos beneficiários do Bolsa Moradia comece nos próximos meses e avance até 2021, seguindo a classificação dos habilitados no processo de 2018. O investimento será de R$ 12 milhões até 2024. 

O Bolsa Moradia concede R$ 500 mensais, por até 30 meses, para as famílias ou indivíduos beneficiados. “Durante o tempo de permanência no Programa, as famílias beneficiárias continuam sendo acompanhadas pelos serviços socioassistenciais. Já as equipes da Urbel realizam o processo de inclusão das famílias e a avaliação dos imóveis a serem alugados, que devem oferecer condições de habitabilidade e segurança”, diz a prefeitura. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade