Publicidade

Estado de Minas NOVO CORONAVÍRUS

''O Brasil não fez um trabalho tão ruim'', diz Zema sobre pandemia da COVID-19

Segundo o governador de Minas, retrospectiva futura vai comprovar que o governo federal gerenciou a crise da saúde pública com mais competência do que alguns países desenvolvidos


03/08/2020 17:22 - atualizado 03/08/2020 18:11

Para o governador de Minas, Romeu Zema, governo Bolsonaro não tem feito gestão tão ruim como o ''alardeado'' durante pandemia(foto: Marcelo Ferreira/CB/D. A. Press)
Para o governador de Minas, Romeu Zema, governo Bolsonaro não tem feito gestão tão ruim como o ''alardeado'' durante pandemia (foto: Marcelo Ferreira/CB/D. A. Press)

 

O Brasil é segundo país do mundo em número de mortes e casos de COVID-19, perdendo apenas para os Estados Unidos. Ainda assim, para o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), o governo federal “não fez um trabalho tão ruim”.

 

“Eu posso estar enganado, mas pra mim, na minha opinião pessoal, daqui a um ano, quando nós fizermos uma retrospectiva, nós vamos ver que o Brasil – dentro do contexto mundo, comparado com país desenvolvidos – não fez um trabalho tão ruim como muitos tem alardeado”, afirmou o governador mineiro em entrevista à CNN Brasil na tarde desta segunda-feira (3).

 

Questionado sobre os números expressivos apresentados diariamente pelo Ministério da Saúde, Zema justificou sua fala a partir de comparações.

 

“Eu estou falando sempre em termos comparativos. Nós temos que considerar que o Brasil tem mais de 200 milhões de habitantes. E nós temos um país como a Itália, com 60 milhões de habitantes, que teve quase a metade desse número de óbitos (do Brasil, até o último boletim fixado em 94.104)”, disse Zema.  

 

De acordo com o último boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS), no entanto, a Itália registra 35.154 mortes por COVID-19. Tal número representa 37,3% do total de óbitos do Brasil.

 

Ainda na entrevista, Zema disse que “faltou sincronismo” entre estados e a União no início da pandemia, mas com o decorrer dos meses o diálogo entre as partes evoluiu.

 

“Nós recebemos respiradores do governo federal. Recebemos testes. Isso com certeza ajudou”, explicou o governador de Minas.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade