Publicidade

Estado de Minas Crime

Vereador de Funilândia é assassinado na Vila Oeste, em Belo Horizonte

Hamilton Moura também era diretor de sindicato de transportes na capital mineira


23/07/2020 20:07 - atualizado 23/07/2020 20:31

Hamilton Dias de Moura tinha 58 anos e em seu corpo havia várias perfurações de bala(foto: Facebook/Reprodução)
Hamilton Dias de Moura tinha 58 anos e em seu corpo havia várias perfurações de bala (foto: Facebook/Reprodução)
A Delegacia de Homicídios de Belo Horizonte está com um intricado caso nas mãos. O assassinato de Hamilton Dias de Moura, de 58 anos, vereador em Funilândia. O crime ocorreu na Avenida Amazonas em frente à estação do metrô da Vila Oeste, na tarde desta quinta-feira (23).

Hamilton estava dentro de seu carro quando foi alvejado. Havia várias perfurações de balas no corpo.

As incógnitas, segundo a polícia, são muitas, a começar pelo fato de que o corpo estava no banco de passageiro.

As testemunhas, que encontraram o corpo, não souberam informar aos policiais se a execução aconteceu naquele local ou se o carro foi simplesmente deixado ali, já com o vereador morto.

Uma das hipóteses dos policiais é de que pode ter sido um crime de vingança ou de acerto de contas. Por esse motivo, as investigações seguirão dois caminhos: em Funilândia e em BH.

Dirigente sindical


Além de ocupar uma vaga na Câmara da cidade do interior, próxima a Sete Lagoas, Hamilton era também diretor do Sindicato dos Motoristas e Empregados em Empresas de Transporte de Cargas, Logística em Transporte e Diferenciados de Belo Horizonte e Região (Simeclodif), que tem sede no Bairro Barroca, em BH.

O Simeclodif se pronunciou por meio de nota: "Sua morte está vinculada ao clima hostil e perverso, no Brasil, contra lideranças dos movimentos populares, sindicais e sociais, com pelos menos um assassinato a cada semana. Franco, sincero e duro no debate, Hamilton Moura era o que Mao Tse Tung dizia, um bufálo de criança, pois não guardava rancores e era capaz de recompor o diálogo mesmo após embates aguerridos e tensos".

Para os policiais, o crime poderia ter ocorrido no trajeto entre o sindicato e a estação do metrô.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade