Publicidade

Estado de Minas EDUCAÇÃO

UFMG retomará aulas de graduação em agosto, de forma remota; cursos de pós voltam em julho

Reitoria estabelece diretrizes para dar início às três fases de adaptação até o retorno definitivo das atividades presenciais


postado em 26/06/2020 19:25 / atualizado em 26/06/2020 23:16

Aulas na UFMG foram suspensas em 18 de março por causa do coronavírus(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Aulas na UFMG foram suspensas em 18 de março por causa do coronavírus (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
 
Com as aulas suspensas desde 18 de março por causa do coronavírus, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) definiu um prazo mínimo de seis semanas para retomar as atividades de seus cursos de graduação. O reinício do primeiro período letivo poderá ocorrer a partir do dia 3 de agosto, de forma remota. Caso o plano de três fases adotado funcione, os alunos devem retornar às aulas presenciais.
 
Os cursos de pós-graduação stricto sensu e lato sensu  voltarão mais cedo e estão agendados para reiniciar a partir da próxima quarta-feira (1º julho). 

Os cronogramas para a retomada da graduação foram acertadas em reunião realizada com coordenadores, conforme recomendação da Câmara de Graduação, que discutirão estratégias de ensino-aprendizagem, atividades avaliativas e regime acadêmico. Um novo calendário escolar será elaborado. 

“Caberá aos colegiados, com base nessas diretrizes, programar as atividades que poderão ser ofertadas remotamente. Para isso, haverá um período para ajustes das matrículas. Também serão definidas ações para avaliação e monitoramento das estratégias adotadas nas três fases previstas para o processo de retomada das aulas, conforme descrito no documento Síntese das reflexões e recomendações", explica a reitora da UFMG, Sandra Goulart.

Segundo a universidade, a primeira etapa da retomada consiste em diagnóstico, planejamento, regulamentação da oferta e integralização de atividades acadêmicas complementares e de atividades destinadas aos concluintes, além de ações de formação docente. Para a segunda etapa do processo, está prevista a adoção do ensino remoto emergencial propriamente dito. Na terceira etapa, o ensino remoto emergencial coexistirá com a ampliação gradual das atividades presenciais.

Um dos desafios da UFMG no processo de volta às aulas será garantir qualidade de acesso à internet e equipamentos para os estudantes. A ideia é que eles sejam beneficiados com chamadas de acesso à internet, de aquisição de notebooks e equipamentos. Além disso, a rede de internet sem fio nas moradias universitárias será reestruturada, com previsão de entrega na segunda semana de agosto. Estudantes indígenas e quilombolas também receberão apoio específico. 
 

Oficinas

 
A universidade desenvolveu vários fóruns, oficinas, cursos, webinars e outras ações virtuais de apoio ao uso de tecnologias digitais no ensino. Segundo a reitoria, foram oferecidas, por meio de oficinas e minicursos, aproximadamente 1 mil vagas para formação de docentes e 450 vagas para estudantes. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade