Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Falta de profissionais da saúde preocupa Governo de Minas

Segundo o secretário Carlos Eduardo Amaral, estado tem estoque de leitos para atender a pacientes da COVID-19, mas não médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para operá-los


postado em 25/06/2020 14:35 / atualizado em 25/06/2020 15:16

Carlos Eduardo Amaral relata falta de recursos para ampliar contratação de profissionais para cuidar de pacientes(foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG/Divulgação)
Carlos Eduardo Amaral relata falta de recursos para ampliar contratação de profissionais para cuidar de pacientes (foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG/Divulgação)
A ocupação de leitos de UTI em Minas está cada dia maior em função da pandemia de COVID-19, mas não é isso que preocupa o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Para ele, o estado está bem preparado para tratar os doentes em termos de espaço físico, mas há risco de faltar profissionais para cuidar deles.

“Já abrimos mil leitos de UTI, enviamos 140 respiradores para vários municípios, estamos acabando de acertar com vários prestadores (de serviço) que estavam aguardando uma sinalização do Ministério da Saúde para credenciamento de leitos, possibilitando que eles tenham certeza de que arcaremos com o custo dos leitos para o tratamento de pacientes de COVID-19. Com isso, teremos ampliação importante. Mas temos de ser realistas: até onde vamos conseguir chegar com ampliação de leitos? Nossa maior dificuldade não é mais conseguir respiradores ou locais para disponibilizar estrutura física, mas, sim, obter recursos humanos para operar esses leitos”, diz o secretário. 

Carlos Eduardo se refere à contratação de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem necessários para colocar tudo em funcionamento neste momento delicado. E lembra que há não só escassez de mão de obra, mas também de dinheiro – Minas atravessa grave crise financeira e tem parcelado o pagamento de servidores.

“Estamos sempre medindo o que está acontecendo. Precisamos lembrar que os recursos são finitos e as necessidades, ilimitadas. Então, temos de seguir o planejamento”, declara Amaral.

Ele voltou a destacar a necessidade de a população contribuir para que o estado consiga atravessar a pandemia da melhor forma possível. E novamente fez apelo pelos cuidados a serem tomados.

“Não queremos ter um pico (de casos). Então é fundamental que todos entendam que no momento em que estamos subindo a curva, é necessário aumentar o isolamento em todo o estado. Isso é obrigação de cada cidadão, não só do Governo do Estado ou das prefeituras. É importante lembrar isso, pois assim não teremos o pico”, argumenta.

A postura dos mineiros, aliás, é bem avaliada pelo secretário. Para ele, ainda que tenha havido relaxamento nas últimas semanas, se comparado com outros estados e até com outros países, os cidadãos tem seguido as orientações e só precisam retomar os cuidados para não haver explosão de casos do novo coronavírus no estado.

“O mote será assim, em algum momento relaxamos um pouquinho, pois ninguém aguenta ficar só isolado, as pessoas precisam do mínimo de qualidade de vida. Mas, no caso de aumento de casos, um risco maior, a sociedade mineira é suficientemente engajada, suficientemente solidária para entender que é momento de retorno ao isolamento mais intenso.”

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade