Publicidade

Estado de Minas CENTRO-OESTE

Prefeito de Pompéu volta atrás e anuncia novas regras de funcionamento do comércio

De acordo com os decretos, o horário comercial será reduzido aos sábados e estará proibido aos domingos e feriados, com exceção das farmácias e postos de combustíveis


postado em 05/06/2020 12:03 / atualizado em 05/06/2020 12:19

Ozéas da Silva Campos, prefeito de Pompéu(foto: Print/ Vídeo)
Ozéas da Silva Campos, prefeito de Pompéu (foto: Print/ Vídeo)
Um mês depois de reabrir o comércio em Pompéu, Região Centro-Oeste de Minas Gerais, e ver o número de casos do novo coronavírus (Sars-Cov-2) aumentar na cidade, o prefeito Ozéas da Silva Campos (PRB) anunciou, nesta quinta-feira (4), mudanças no funcionamento dos estabelecimentos. De acordo com os Decretos nº 2.038/20 e 2.039/20, o horário comercial será reduzido aos sábados e estará expressamente proibido aos domingos e feriados, com exceção das farmácias e postos de combustíveis.

“Todos os estabelecimentos poderão funcionar, de segunda a sexta-feira, até as 19h. Aos sábados o horário é restrito até as 15h. No domingo, os estabelecimentos deverão permanecer fechados, com exceção das farmácias e postos de combustíveis”, afirmou o chefe do Executivo municipal em um vídeo disponibilizado no site da prefeitura.

Ainda de acordo com o decreto, outras atividades que haviam sido retomadas no início de abril, mesmo obedecendo às normas de prevenção da Secretaria Municipal de Saúde, terão novas regras. As academias e centros de ginástica permanecerão fechados. Já os bares, lanchonetes e restaurantes poderão funcionar somente com a modalidade delivery ou com a retirada do produto no local. 

A primeira ocorrência de casos de coronavírus em Pompéu ocorreu em 25 de abril e, desde então, foram registrados oito casos confirmados, em conformidade o último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, na tarde dessa quinta-feira (4). Segundo o informativo da municipalidade, 76 pessoas notificaram a Secretaria de Saúde sobre a possibilidade de ter contraído a doença, mas apenas seis pessoas estão em monitoramento

O prefeito também informou que a fiscalização do cumprimento das normas, expressas no decreto, será mais intensa nesse momento de crescimento da curva de contaminação da COVID-19. A decisão tem o apoio da Polícia Militar, responsável pelo monitoramento, e do Ministério Público

*Estagiário sob supervisão do subeditor Daniel Seabra

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade