Publicidade

Estado de Minas BETIM

Três suspeitos de envolvimento com tráfico são presos por morte de tatuador

Vítima teria começado a vender droga conhecida como 'loló' em região comandada por outros criminosos


postado em 01/06/2020 12:53 / atualizado em 01/06/2020 14:11

Carona teria atraído vítima. Carro utilizado no crime foi apreendido(foto: PCMG/Divulgação)
Carona teria atraído vítima. Carro utilizado no crime foi apreendido (foto: PCMG/Divulgação)
Três homens foram presos e, outros dois indiciados pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), por envolvimento na morte de um tatuador de 24 anos, assassinado em Betim,na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no dia 13 de março deste ano.
As investigações apontam que a motivação do crime teria sido o fato de que a vítima estava vendendo lança-perfume, droga também conhecida popularmente como “loló”, no Bairro Icaivera, em uma região comandada há anos por um grupo de criminosos. 

O tatuador, que era usuário de drogas, não tinha passagem pela polícia e residia há pouco tempo no bairro começou a vender o entorpecente e uma semana antes do crime foi ameaçado pelos traficantes, que inclusive eram seus clientes. 

"Ele conhecia todo mundo, tinha contato com todos eles e era tatuador dos traficantes. Testemunhas falam que ele gostava de fazer tatuagem no pessoal do crime, porque falava que era um dinheiro fácil, que ele pegava em droga e eles tinham dinheiro para pagá-lo na hora”, explicou Otávio Carvalho, delegado responsável pela Delegacia de Homicídios de Betim.

Um dia antes do assassinato, a vítima foi mordida por um cachorro e precisou de atendimento médico para tomar uma vacina antirrábica. Ele pediu carona para um dos suspeitos que usou o favor como pretexto para atrair a vítima para a emboscada.

No dia seguinte, quando o suspeito foi dar a carona para o tatuador, eles pararam em uma padaria onde outros dois homens entraram no carro. A vítima foi assassinada com oito tiros em uma estrada de terra nas proximidades, por volta das 8h30. O corpo foi encontrado por um transeunte.

Imagens do trajeto percorrido pelos suspeitos e de um radar que flagrou o veículo ajudaram nas investigações. Ao todo, cinco suspeitos com idades entre 20 e 37 anos foram indiciados, todos com passagens pela polícia e em maioria por homicídio

No dia 5 de maio, o veículo utilizado no crime foi localizado e apreendido, e um dos autores preso. Os outros dois homens se apresentaram à polícia no dia seguinte. O trio permanece detido. O homem que ameaçou o tatuador, e um outro envolvido, foram indiciados por associação criminosa e vão responder em liberdade.
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.
 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade