Publicidade

Estado de Minas ÔNIBUS EM BH

Kalil chama transporte coletivo de 'probleminha'

Prefeito de Belo Horizonte disse que não vai aumentar circulação de veículos e sinalizou problema com falta de álcool em gel em ônibus intermunicipal


postado em 29/05/2020 17:19 / atualizado em 29/05/2020 18:40

Ônibus estão circulando com capacidade acima do permitido(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)
Ônibus estão circulando com capacidade acima do permitido (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), anunciou durante coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira, que não vai aumentar nem diminuir a quantidade de transporte coletivo na capital.



“Vai continuar a mesma quantidade de ônibus que está aí hoje porque não estamos abrindo nada. Quando estiver abrindo ou fechando a gente aumenta ou diminui. Agora trazer probleminhas enquanto nós temos estamos com 46 mortes em Belo Horizonte não vai levar à nada”, afirmou o chefe do Executivo Municipal.

Na última quarta-feira, o Estado de Minas mostrou que os ônibus estão circulando com capacidade acima do permitido e algumas empresas ainda não haviam cumprido com a exigência de álcool em gel dentro dos veículos. O prazo para essa adequação era até esta sexta-feira.

“Houve uma portaria estúpida do álcool em gel em ônibus como se a gente não tivesse em guerra. O transporte público é problema? É problema. Mas quanto mais o intermunicipal se misturar com o municipal, e sabemos que o intermunicipal é um problema”, disse Kalil, sem concluir a fala.

O prefeito ressaltou que é necessário que tenha álcool em gel para os passageiros em todos os ônibus, mas mencionou que “isso do transporte é o menos importante”.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Belo Horizonte, nessa quinta-feira, a cidade tem 1.674 casos de coronavírus confirmados, 295 em acompanhamento, 1.333 recuperados.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade