Publicidade

Estado de Minas MINAS GERAIS

COVID-19: Kalil diz que interior tem curvas exponenciais e dados alarmantes

Prefeito de Belo Horizonte voltou a chamar atenção para a propagação da COVID-19 em Minas Gerais


postado em 29/05/2020 17:10 / atualizado em 29/05/2020 17:15

Prefeito de BH, Alexandre Kalil comentou o avanço do coronavírus no interior de Minas Gerais(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Prefeito de BH, Alexandre Kalil comentou o avanço do coronavírus no interior de Minas Gerais (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Polo do sistema de saúde mineiro e receptor de pacientes de diferentes regiões de Minas Gerais, Belo Horizonte observa de perto a propagação do coronavírus no interior. E, segundo o prefeito da capital, Alexandre Kalil (PSD), a avaliação do cenário atual não é nada positiva.

As curvas (de propagação da doença) no interior estão exponenciais. Assustadoramente exponenciais. E nós aqui não estamos chamando a atenção de ninguém. Nós aqui estamos no espírito de colaboração para avisar a todas as cidades, a Grande BH, o que está acontecendo. Cada um faz o que quer, mas nós temos obrigação de avisar o que está acontecendo no interior”, disse Kalil, em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira.

Segundo boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), Minas Gerais tem 9.232 casos confirmados de coronavírus, dos quais 257 evoluíram para óbito. Os números reais, porém, são bem maiores. O próprio governo estadual admitiu que para cada infectado identificado oicialmente, há dez fora dos registros.

Também de acordo com a SES, 429 dos 853 municípios mineiros (50,2%) já têm casos confirmados da doença. Veja no mapa a seguir como o vírus se espalhou pelo estado, segundo dados disponibilizados até a última terça-feira:


Segundo Kalil, a situação do estado e as consequências da interiorização do vírus para a capital lhe foram apresentadas pelos especialistas que compõem o Comitê de Enfrentamento à Epidemia da COVID-19 de BH. Os dados, também de acordo com o prefeito, foram repassados ao governo estadual.

São dados inclusive repassados à Secretaria de Estado. Não estamos aqui fazendo política ou briga. Não. Nós estamos comunicando a Secretaria do Estado, como é dever numa hora dessa, de união, que a situação tanto na Grande BH, como no estado é de enorme gravidade”, disse.

Kalil fez fortes críticas à gestão da saúde pública estadual dos últimos anos e disse que Belo Horizonte é a exceção. “Já cansei de falar isso, e vou repetir: o SUS (Sistema Único de Saúde) é um espetáculo. O serviço público, por roubalheira, por incompetência ou por abandono, é uma porcaria. Mas Belo Horizonte ainda é a melhor porcaria do Brasil", declarou.

“Nós estamos em estado de guerra. Os dados são alarmantes. São colaborativos. Humildemente, vamos informar a todas as cidades, porque tivemos acesso a estudos, o que está acontecendo. Prestem bem atenção. Estamos humildemente comunicando o que está acontecendo no estado de Minas Gerais por um sucateamento da saúde de anos e anos”, disse o prefeito.

Desde o início de maio, Kalil tem publicizado a preocupação com o avanço do vírus no interior e as respectivas consequências desse movimento no sistema de saúde de Belo Horizonte. Segundo dados da última terça-feira, pacientes de outros 56 municípios de diferentes estados já haviam solicitado internação por COVID-19 na capital mineira.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade