Publicidade

Estado de Minas SÉCULOS DE HISTÓRIA

Minas Gerais comemora 300 anos e curso da história amplia modo virtual

Interrompidas pela pandemia, as atividades programadas pelo Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais (IHGMG) serão lançadas hoje


postado em 28/05/2020 04:00 / atualizado em 28/05/2020 13:35

Vista de Ouro Preto: sedição da antiga Vila Rica marca início da história das Gerais(foto: Alexandre Guzanshe/Em/D.a press)
Vista de Ouro Preto: sedição da antiga Vila Rica marca início da história das Gerais (foto: Alexandre Guzanshe/Em/D.a press)


As comemorações dos 300 de Minas voltam ao curso da história com abrangência ainda maior no modo virtual. Interrompidas pela pandemia do novo coronavírus, as atividades programadas pelo Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais (IHGMG) serão lançadas hoje, com os arquivos da instituição centenária, pelos canais no YouTube IHGMG e IHGMG Virtual. Para abrir a temporada, será apresentada a palestra do genealogista Marcelo Bogaciovas (1952-2020), com o tema Inquisição e os cristãos novos em Minas. Bogaciovas foi o fundador da Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia (Asbrap).

A cada quinta-feira estará disponível um tema referente à história de Minas, informa Adalberto Andrade Mateus, integrante do IHGMG e dividindo a coordenação das comemorações do tricentenário com a professora Márcia Maria Duarte dos Santos, também da instituição. Para os próximos dias 8 e 10, em parceria com o Arquivo Público Mineiro, vinculado à Secretaria de Estado da Cultura e Turismo, haverá atividades dentro da Semana Nacional de Arquivos. Entre os participantes, a diretora criativa do projeto Making The Future, do Arquivo Público da Irlanda do Norte, a brasileira Laura Aguiar.

Segundo Adalberto Mateus, um dos painéis da programação enfoca os Historiadores Mineiros, entre eles Augusto de Lima Júnior, Salomão de Vasconcellos, cônego Raimundo Otávio da Trindade, Joaquim Felício dos Santos e Diogo de Vasconcellos. Nesse caso, haverá participação do professor Francisco Andrade, do Núcleo de Pesquisas Impérios e Lugares no Brasil, da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop). “Para lembrar o 29 de junho, data da Sedição de Vila Rica (1720), teremos uma semana de palestras e apresentação de trabalhos”, diz o integrante do IHGMG. Também em pauta, atividades sobre a língua portuguesa – A herança da língua portuguesa, com o cônsul de Portugal em Minas, Rui Almeida, e ainda O português mineiro, com a professora Antonieta Cohen.

ALCANCE

Para julho estão agendadas palestras sobre a imigração no estado. “Vamos retomar as ações programadas bem antes da pandemia. Não haverá nada presencial, mas acreditamos que, pelos canais do YouTube, teremos um alcance bem maior, aliás no mundo inteiro”, explica.

O primeiro passo para as celebrações dos 300 anos de Minas Gerais, que nasceu com a elevação destas terras centrais à condição de Capitania de Minas, em 1720, foi dado em 15 de agosto, quando o presidente do IHGMG, Luiz Carlos Abritta, instituiu a comissão especial que vai cuidar da programação durante o próximo ano. Contando com o fim do isolamento social, está prevista a visita dos integrantes do instituto a Ouro Preto, para homenagens à memória de Felipe dos Santos, morto há 300 anos e líder da Sedição de Vila Rica.



Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade