Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Zema não crava data para reabrir escolas; foco é melhorar ensino remoto

Governo pretende aprimorar canais que ofertam aulas virtuais aos alunos da rede estadual


postado em 25/05/2020 18:34 / atualizado em 25/05/2020 20:16

Ao Estado de Minas, Zema afirmou que o foco da educação estadual é aprimorar o sistema de ensino remoto.(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D. A Press)
Ao Estado de Minas, Zema afirmou que o foco da educação estadual é aprimorar o sistema de ensino remoto. (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D. A Press)
O governo de Minas Gerais ainda não sabe quando as escolas estaduais poderão ser reabertas. Em entrevista exclusiva ao Estado de Minas, o chefe do Executivo do estado, Romeu Zema (Novo), disse que a prioridade é aprimorar o sistema de ensino a distância desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação, modelo adotado em virtude da pandemia do novo coronavírus.



Zema comentou que, fora do Brasil, algumas instituições de ensino têm tomado uma série de medidas para viabilizar o retorno às atividades presenciais. Ao destacar que as ações não eliminam completamente o risco de infecção pela COVID-19, o governador ressaltou que a situação financeira enfrentada por Minas Gerais impede a adoção de iniciativas do tipo.

“No momento, não há previsão efetiva de data. Lá fora, há várias escolas colocando divisórias de plástico ou acrílico entre os alunos. Hoje, a situação do estado não permitiria adaptações do tipo em todas as mais de três mil escolas que temos. E, mesmo assim, ainda haveria risco, pois no intervalo as crianças se encontram”, disse.

As videoaulas são transmitidas pela Rede Minas. A cada dia, uma área de conhecimento é abordada. O regime de ensino virtual é composto, também, pelo aplicativo Conexão Escola e por apostilas disponíveis no site Estude em CasaO expediente começou a funcionar no último dia 18. Alunos e professores têm criticado o modelo. Por isso, o governo busca fazer correções.

“Nossa preocupação, hoje, é melhorar e tornar viável o ensino a distância. Sei que não é tão bom quanto o ensino presencial, mas é o que temos condições de fazer no momento”, pontuou Zema.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade