Publicidade

Estado de Minas EXCLUSIVA AO EM

'As pessoas dependem dos empregos', diz Zema sobre retomada do comércio em BH

Ao Estado de Minas, governador afirmou, também, que programa estadual sobre flexibilização do isolamento pode sofrer alterações


postado em 25/05/2020 17:56 / atualizado em 25/05/2020 19:26

Shoppings populares de BH puderam reabrir as portas nesta segunda-feira(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D. A Press)
Shoppings populares de BH puderam reabrir as portas nesta segunda-feira (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D. A Press)
Em entrevista exclusiva ao Estado de Minas, o governador Romeu Zema (Novo) comemorou o início do protocolo de retomada das atividades comerciais em Belo Horizonte. O chefe do Executivo estadual lembrou que a convivência com o novo coronavírus, desde que tomadas medidas de proteção e distanciamento, faz parte da nova normalidade mundial.



Nesta segunda-feira, alguns estabelecimentos da capital, como salões de beleza, shoppings populares e lojas de autopeças, puderam, seguindo uma série de recomendações sanitárias, reabrir as portas.

As pessoas dependem dos empregos. As empresas precisam vender. Temos de lembrar que o vírus veio para ficar no meio de nós. Não temos condição de aguardar um ou dois anos (por uma vacina)”, argumentou Zema.

No fim do mês passado, o governo estadual anunciou o Minas Consciente, programa que estabelece uma série de regras para a retomada. As atividades econômicas são divididas em quatro “ondas” (verde – serviços essenciais; branca – baixo risco; amarela – médio risco; vermelha – alto risco). O funcionamento de cada serviço pode ser liberado gradualmente, de acordo com indicadores sobre a capacidade assistencial e a taxa de propagação da doença em cada região mineira.

Segundo Zema, os indicadores que regem o Minas Consciente são dinâmicos. A ideia do Executivo estadual é aprimorá-los.

“O Minas Consciente é uma orientação, está longe de ser uma verdade absoluta. O vírus, até hoje, não foi bem compreendido. Seria muita pretensão nossa fazer um programa sobre algo que nem os cientistas entendem 100%”, explicou.

Ele lembrou, ainda, que algumas cidades já autorizaram a reabertura parcial das lojas, mas destacou que medidas restritivas podem ser tomadas pelos prefeitos caso a 'curva' de casos suba.

Turismo e Cultura

Embora reconheça a importância do turismo para a economia do estado, Zema ressaltou que os efeitos da pandemia desfavorecem a atividade. “Não podemos expor ninguém ao risco e, neste momento, percebo que ninguém está com vontade de viajar”.

Drasticamente impactado pelo isolamento social, que obrigou a paralisação das atividades, artistas têm sofrido para conseguir renda. A ideia do governo é incentivar apresentações feitas por meio de lives, tendo um pequeno auxílio financeiro como contrapartida.

Vale lembrar que, no início do mês, Leônidas Oliveira foi anunciado como novo secretário de Estado de Cultura e Turismo.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade