Publicidade

Estado de Minas FORÇA EXCESSIVA?

Festa com som alto acaba em confusão com PMs no Norte de Minas; veja vídeo

Policiais foram acusados de usar força excessiva para solucionar a ocorrência


postado em 18/05/2020 07:22 / atualizado em 18/05/2020 11:16

Vídeo mostra militares alterados durante a ocorrência policial(foto: Reprodução/WhatsApp)
Vídeo mostra militares alterados durante a ocorrência policial (foto: Reprodução/WhatsApp)
Policiais do município de Mirabela, no Norte de Minas Gerais, são suspeitos de abuso de poder e uso de força excessiva ao atender uma ocorrência na madrugada do último sábado. Um vídeo que viralizou por grupos de WhatsApp de moradores da cidade mostra os militares agredindo pessoas em uma casa e ameaçando dar tiros.

Um dos denunciantes alega que confraternizava em casa com a família o aniversário da parceira e do relacionamento do casal. Ele diz que de repente os militares invadiram a residência em que estavam e começaram a abordagem com força excessiva.

No vídeo, além das agressões e do enquadro ao homem, um dos policiais diz: “Vai levar tiro, desgraça!”. Há relatos de que a dupla de PMs também usou gás de pimenta e deu coronhadas com uma arma calibre 12. O denunciante acabou preso, mas liberado no dia seguinte.

Os militares envolvidos na ocorrência; o denunciante os chama de Leal e Leandro(foto: Reprodução/WhatsApp)
Os militares envolvidos na ocorrência; o denunciante os chama de Leal e Leandro (foto: Reprodução/WhatsApp)
A Polícia Militar divulgou uma nota dizendo que foi ao local depois de denúncias sobre a altura do som, que estaria incomodando vizinhos. A dupla de policiais, de nomes Leal e Leandro segundo o denunciante, foi ao local uma primeira vez para alertar o grupo sobre o incômodo de vizinhos.

Segundo a corporação, a polícia foi novamente acionada. A PM informa que a dupla novamente chegou ao local e foi recebida com palavras de baixo calão e percebeu desobediência. “Fato que ensejou a intervenção policial, inclusive com uso de
força, em razão da conduta resistente dos envolvidos”, diz a nota dos militares.

“O vídeo divulgado, por si só, não é capaz de demonstrar todas as circunstâncias do fato concreto por representar apenas uma parte da ocorrência”, informou a PM. Um inquérito foi instaurado para apurar o caso de possível força excessiva e abuso de poder.
 
Denunciante gravou um vídeo depois de ser liberado(foto: Reprodução/WhatsApp)
Denunciante gravou um vídeo depois de ser liberado (foto: Reprodução/WhatsApp)
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade