UAI
Publicidade

Estado de Minas ROUBO

Mulheres são presas por roubarem medicamentos controlados para serem revendidos em BH

Além de remédios tarja preta, mulheres roubavam cosméticos e outros medicamentos


postado em 29/04/2020 16:32 / atualizado em 29/04/2020 18:59

Coletiva de imprensa ocorreu nesta quarta-feira (foto: Youtube/ Reprodução)
Coletiva de imprensa ocorreu nesta quarta-feira (foto: Youtube/ Reprodução)
Duas mulheres foram presas, nesta quarta-feira, suspeitas de roubar cosméticos e medicamentos - incluindo, remédios tarja preta - no Centro de Belo Horizonte para serem revendidos em farmácias clandestinas. Mandados de prisão preventiva foram cumpridos contra elas. Dupla deve responder por furto qualificado e associação criminosa.  

Esse é o resultado da operação  “Tarja Preta”, deflagrada pela  da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), com o objetivo de combater crimes de furto, roubo e receptação. A corporação contou com o apoio do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais e da Vigilância Sanitária.   

Na ação, além dos mandados de prisão temporária, foram cumpridos outros 12 mandados de busca e apreensão em residências e estabelecimentos comerciais em Belo Horizonte,  Ribeirão das Neves (Grande BH), Contagem (Grande BH) e Esmeraldas (Grande BH).  Desses, dois homens foram detidos.

De acordo com um dos delegados responsáveis pelo caso, Wagner Sales, o modo operante da quadrilha era o seguinte: três mulheres saiam da Região Metropolitana para o Centro da Capital diariamente.

No hipercentro, elas buscavam lugares para furtar - sendo as farmácias os principais alvos. Entre os objetos almejados, elas buscavam cosméticos e medicamentos, incluindo, tarja preta. A meta era de, pelo menos, furtar três estabelecimentos por dia. 

Após o furto, elas encontravam um dos receptadores na Praça Sete, também no Centro, para fazer a venda dos produtos roubados.

"O receptador recebia os produtos roubados, estocava na casa dele e, posteriormente, vendia para estabelecimentos comerciais, incluindo, farmácias", disse o delegado.

Durante a operação, foi identificada uma farmácia clandestina - que não teve o endereço divulgado - onde foram achadas, também, máquinas caça niqueis.

Nas residências, foram encontrados diversos produtos como remédios vencidos e adulterados. As mercadorias, sem nota fiscal,  ainda não contabilizadas. Foi apreendido, ainda, um carro de luxo.  "Também estamos investigando a lavagem de dinheiro praticada por criminosos", acrescentou o delegado.

Além de tráfico de drogas devido a venda de remédios adulterados. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade