Publicidade

Estado de Minas

Mercado de ovos de páscoa está entre os mais afetados pela pandemia do Coronavírus

Expectativas são de que o setor de chocolates tenha uma redução de 20% a 30% nas vendas neste ano. Porém, produtores autônomos e lojas especializadas seguem na tentativa de vendas


postado em 08/04/2020 11:09 / atualizado em 08/04/2020 11:50

(foto: Istock)
(foto: Istock)
Com o período de quarentena causado pela pandemia do novo Coronavírus, diversas áreas do mercado vêm sendo afetadas. Uma delas que é bastante movimentada nesse período do ano é a de chocolates e ovos de páscoa. Porém, medidas podem ser tomadas para manter essa páscoa com o produto em alta e ainda assim segura. 

Dentre os mais afetados pela pandemia estão os supermercados. Expectativas são de que o setor de chocolates tenha uma redução de 20% a 30% nas vendas neste ano. Isso ocorre pois, além da alta nos preços dos chocolates, que estão 2% mais caros em relação a 2019, os ovos de páscoa não tiveram os preços tabelados. Isso influencia seu valor entre os mercados, o que gera uma necessidade maior de pesquisa dos consumidores.

Apesar de toda a crise, lojas do segmento de chocolates que estão no comércio de rua podem funcionar. Isto porque comercialização e entrega de alimentos é considerada essencial. Em declaração oficial, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva, informou aos empresários do segmento de chocolates da capital que está autorizado o funcionamento das lojas localizadas no comércio de rua.

Souza e Silva alertou, porém, que 'é importante que os empresários adotem as medidas estabelecidas pelas autoridades de saúde de prevenção ao contágio e contenção da propagação do Coronavírus.” Ele também fez uma recomendação aos consumidores: “antes de ir às lojas, é importante que a pessoa já faça uma pesquisa pela internet e já vá ao estabelecimento sabendo o que realmente quer. É indispensável evitarmos qualquer tipo de aglomeração de pessoas, e quanto mais rápida for efetuada a compra, maior será a segurança na prevenção.”

Apesar disso, mesmo com o funcionamento de lojas do segmento de chocolates nesse período, uma das tendências dos consumidores esse ano é a encomenda de seus chocolates com pequenos produtores autônomos de ovos de páscoa artesanais

A demanda por um produto mais barato, de confiança e ainda assim de qualidade foi o que influenciou João Pedro Costa, de 20 anos, a encomendar seus chocolates com esse tipo de produtora. "Na minha visão, por causa do coronavírus os ovos de páscoa tiveram uma alta muito grande nos preços. Fui ao supermercado semana passada e os preços estavam sem condições de tão altos", reclamou João.

Ele ainda baseou sua escolha na segurança e higiene na produção do produto. "Conheço o ambiente de trabalho da pessoa com quem encomendei dois ovos, um pra mim e um para dar de presente, e por isso confio", disse, completando que "como ela vai fazer delivery e o pagamento fiz por transferência bancária, sinto que me mantive seguro e ainda poupei o meu bolso."

Mariana Mazarello, que atua de forma autônoma na área de confeitaria e está na sua segunda Páscoa produzindo ovos artesanais, conta que houve uma queda na procura. “A demanda caiu extremamente. Planejei vender cerca de 200 ovos, e até agora só tenho 30 vendas fechadas.” Segundo Mariana, caso o seu cliente queira, ela realiza a entrega do produto em casa. Ela ainda ressalta a precaução com a saúde, o tornou os hábitos de higiene, que ja eram rigorosos, ainda mais presentes. “O álcool em gel virou meu melhor amigo", brinca.

*Estagiario sob supervisão do subeditor Daniel Seabra

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade