Publicidade

Estado de Minas GERAIS

Polícia Civil prende suspeito de desviar cerca de R$ 1,2 milhão de empresa em BH

Criminoso era funcionário do setor financeiro da firma e vinha fazendo a duplicação de boletos bancários há cinco anos


postado em 06/04/2020 17:26 / atualizado em 06/04/2020 18:04

Polícia Civil prende homem suspeito de desviar cerca de R$ 1,2 milhão de uma empresa do ramo de vestuário(foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Polícia Civil prende homem suspeito de desviar cerca de R$ 1,2 milhão de uma empresa do ramo de vestuário (foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Um homem de 26 anos, suspeito de desviar cerca de R$ 1,2 milhão de uma empresa do ramo de vestuário, foi preso em flagrante em Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil, o criminoso era funcionário do setor financeiro da firma e estaria realizando a duplicação de boletos bancários há cinco anos. A detenção, confirmada nesta segunda-feira (6), ocorreu em 30 de março.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Gustavo Barletta, o investigado desviava as quantias por meio da falsificação de boletos, “o envolvido emitia duas notas de pagamento. Uma contendo os dados reais e outra com o nome real do fornecedor, mas com os dados bancários de 'laranjas', e essas contas eram movimentadas pelo investigado". 

O crime começou a ser investigado há cerca de 15 dias, quando o proprietário da empresa desconfiou de desvios e acionou a Polícia Civil. Uma equipe do Departamento de Investigação de Crimes contra o Patrimônio (Depatri) foi até o local, identificou o suspeito como funcionário do setor financeiro e fez os levantamentos. Após ter ciência das provas obtidas contra ele, o acusado admitiu a fraude e relatou ter adquirido vários bens com o valor desviado.

De acordo com Barletta, a polícia inicialmente avaliava a hipótese de que o criminoso agia com a ajuda de outros funcionários do setor. “Depois da prisão, ficou claro que as pessoas suspeitas foram usadas por ele. Eram ‘laranjas’. O criminoso abriu quatro contas com nomes diferentes, verdadeiros. Nós acreditamos que essas pessoas não tinham conhecimento dos fatos”, afirmou. 

“Pelo próprio aplicativo do banco o criminoso conseguia fazer a transferência do dinheiro dessas contas para a conta dele. Ele fazia isso sem que as pessoas envolvidas tivessem conhecimento dos fatos”, completou o delegado.

A polícia informou que no momento em que foi preso o homem confessou ter cometido os desvios e admitiu que já realizava essa prática por cerca de cinco anos. 

Segundo o levantamento policial, três veículos e uma motocicleta de luxo, um apartamento, uma empresa do ramo de bebidas e uma chácara teriam sido adquiridos pelo suspeito. Ele ainda alegou que reformou sua residência com materiais de alta qualidade, adquiriu diversas roupas e joias, além de ter realizado viagens por todo o Brasil usando esse dinheiro.
 
A polícia conseguiu, com a colaboração do suspeito, restituir à vítima parte do que foi desviado. O investigado transferiu, até o momento, o valor de R$ 20 mil e os veículos adquiridos de forma fraudulenta para a conta e nome da empresa 

*Estagiário sob supervisão do subeditor Eduardo Murta

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade