Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Prefeitura de Bom Despacho antecipa salário de servidores para movimentar mercado

Com comércio fechado, órgão pede que servidores priorizem a antecipação de autônomos; R$ 3 milhões serão injetados na economia local


postado em 30/03/2020 19:53 / atualizado em 30/03/2020 20:13

Serão injetados R$3 milhões na economia de Bom Despacho (foto: Prefeitura Bom Despacho/Divulgação)
Serão injetados R$3 milhões na economia de Bom Despacho (foto: Prefeitura Bom Despacho/Divulgação)
Os 1,5 mil servidores da Prefeitura de Bom Despacho, Região Centro-Oeste, irão receber antecipadamente o salário nesta terça-feira (31). Serão injetados mais de R$ 3 milhões na economia da cidade com o objetivo de movimentar o comércio do município, que tem pouco mais de 49 mil habitantes.
A medida vem para tentar minimizar o impacto provocado pelas medidas restritivas de enfrentamento à COVID-19. Bom Despacho registrou um caso confirmado da doença e tem outros 48 em investigação, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES).

No município, o comércio está fechado, exceto os serviços essenciais como farmácias, supermercados e consultórios médicos. "Nosso interesse é que os servidores recebam, paguem as contas e até antecipem algumas. A campanha que estamos tentando fazer é com foco nos profissionais autônomos”, explica a secretária de Fazenda, Daniela Rocha. A ideia é que os servidores paguem um valor antecipado, por exemplo, às manicures ou diaristas e que o pagamento gere crédito futuro.

Ao servidor, ela sugere que evite tocar em dinheiro e se aglomerar em agências bancárias. “Previna-se contra o coronavírus. O que for possível pague e compre por aplicativos. Prefira os serviços com delivery”, aconselhou.

 

Benefícios sociais

A Secretaria de Desenvolvimento Social está liberando temporariamente cesta básica, aluguel social, pequenas reformas, auxílios natalidade ou funeral. “Já estamos auxiliando algumas famílias. Priorizamos as que têm crianças, idosos, gestantes e deficientes”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Eduardo Costa. Para receber algum benefício, a família deve ter renda de até 1/4 do salário mínimo por integrante. 

(Amanda Quintiliano especial para o EM)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade