Publicidade

Estado de Minas

Começa cadastro de acamados pra receber vacina contra a gripe em casa em BH

Cadastro é apenas para pessoas que estão de cama ou impossibilitadas de se locomover. Processo vai até 9 de maio


postado em 25/03/2020 09:57 / atualizado em 25/03/2020 10:12

(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)


Está disponível até 9 de maio pela internet ou nos centros de saúde de Belo Horizonte o cadastramento de pessoas acamadas ou moradores de casas de repouso, sem possibilidade de se locomover, para receber a dose da vacina contra a gripe em suas residências. A estimativa da prefeitura é de que 25 mil idosos nessas condições sejam imunizados contra a Influenza

"A vacinação domiciliar é exclusiva para o público-alvo da campanha e que não tem condições de ir aos locais para se vacinar", ressalta a prefeitura.  

A campanha de vacinação começou nessa segunda-feira, priorizando os idosos, e vai até 22 de maio. Desta vez, além dos 152 centros de saúde espalhados pelas nove regionais administrativas da prefeitura, a vacinação pode ser feita em postos extras e também em unidades da Drogaria Araújo, nesta última por agendamento pela internet a partir de hoje.

O Ministério da Saúde define que devem se vacinar contra a gripe a população acima de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes, puérperas (mães no pós-parto), trabalhadores da saúde, professores de escolas das redes pública e privada, indígenas, portadores de doenças crônicas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medida socioeducativa, detentos e funcionários do sistema prisional. 

"Para receber a vacina, é necessário apresentar o cartão de vacinação e documento de identidade. Este ano a população da capital a ser vacinada é de aproximadamente 1,19 milhão de pessoas e a meta é atingir 90% de cobertura vacinal", detalha a PBH.

Em matéria publicada na segunda-feira no Estado de Minas, o infectologista Dirceu Greco, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB), explicou que a imunização contra a influenza pode ajudar a aliviar o sistema de saúde por conta, sobretudo, da pandemia da COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus. “A presença do coronavírus reforça a necessidade da vacina anual, já que estamos suscetíveis às pequenas mudanças sofridas pelo vírus sazonal, da gripe comum. Com a vacina, os idosos diminuem o risco de contrair algo que possa complicar a saúde”, comenta. Dirceu recomenda, ainda, que os idosos verifiquem se têm a indicação de receber a vacina pneumocócica, que atua contra a bactéria responsável por causar doenças como pneumonia e meningite.


Próximas etapas


De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, a partir de 16 de abril, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e doentes crônicos podem se vacinar. A última fase, de 9 a 22 de maio, é para as crianças de seis meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas que têm acima de 55 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas e pessoas com condições especiais.


Publicidade