Publicidade

Estado de Minas

Juventude Bronzeada cancela cortejo no carnaval de BH

Bloco é um dos mais tradicionais de Belo Horizonte e arrastou milhares de foliões em 2019


postado em 20/02/2020 13:49 / atualizado em 20/02/2020 15:01

(foto: Edésio Ferreira/EM)
(foto: Edésio Ferreira/EM)

As determinações do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) e da Polícia Militar sobre a regularização de 50% dos trios elétricos do carnaval de Belo Horizonte vão deixar o tradicional cortejo do Juventude Bronzeada de fora do carnaval de 2020. Nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou o pedido de liminar dos 15 blocos que teriam os desfiles prejudicados. Em nota, a organização do 'Juventude se diz ''triste e frustrada''. ''Trabalhamos para regularizar nosso cortejo de acordo com os parâmetros exigidos pela Belotur, pelo Corpo de Bombeiros e BHTrans. Entretanto, a Polícia Militar de MG não foi em nenhuma reunião'', comunicou.
Tradicionalmente saindo da Praça de Lions, o Juventude Bronzeada segue à risca o repertório próprio do bloco e promove uma fusão musical, passando pelo início do axé dos anos 1990 e pelos hits do recente álbum do grupo, lançado para a folia do ano passado. Além da reverência aos sons dos tambores e de outros instrumentos de percussão, o bloco já registrou, em uma música, seu amor pela bebida típica da folia belo-horizontina: o catuçaí – uma mistura de catuaba e creme de açaí –, entoado pelos seguidores ao som de "Drink do amor / Pira, refresca e alimenta". 

Em 2020, portanto, a gente bronzeada, de acordo com a música de Novos Baianos, não vai mostrar seu valor pelas ruas do Bairro Floresta.

Veja a nota oficial do bloco:
Ver essa foto no Instagram

O cortejo do Juventude Bronzeada no carnaval de 2020 está CANCELADO. Desde setembro de 2019, estamos em acordo com a Belotur, reunindo documentações, participando de reuniões sobre o cortejo como um todo. Saímos com esse tipo de carro desde 2017 e, antes DESTA SEMANA, não havíamos recebido nenhuma notificação sobre a necessidade da documentação exigida atualmente. Trabalhamos para regularizar nosso cortejo de acordo com os parâmetros exigidos pela Belotur, pelo Corpo de Bombeiros e BHTrans. Entretanto, a Polícia Militar de MG não foi em nenhuma reunião. Sabemos que a documentação do carro de som está em desacordo, mas ela atesta exatamente o que a PM alega precisar: a segurança do carro, que já estava assegurada com demais procedimentos e laudos de segurança exigidos pelo DETRAN. Tentamos resolver a situação por vias legais, com uma liminar que foi indeferida. Entendemos que a Juventude Bronzeada está impedida de sair por uma questão meramente burocrática, já que a vistoria de segurança já foi feita. Sempre fizemos um carnaval construído de forma coletiva, sem fins lucrativos e livre de patrocínios, contando apenas com a dedicação e amor de cada pessoa pelo bloco e pelo carnaval de rua de Belo Horizonte. Acreditamos na força política de ocupar as ruas e nos divertirmos com respeito e liberdade. Fizemos esforços durante meses para financiar nosso cortejo. Além da verba que arrecadamos com produção e venda de produtos do bloco e da contribuição espontânea da bateria e do público nos ensaios, contamos apenas com o patrocínio da Belotur %u2014 que não é suficiente nem para pagar metade das despesas de um cortejo. Todo o trabalho que fazemos para que o bloco saia é voluntário, e não temos interesse e nem condições de organizar um cortejo com um novo carro em dois dias. Não vamos nos responsabilizar por um erro que não foi nosso. Não vamos nos esforçar para buscar ainda mais dinheiro para fazer o bloco acontecer. O bloco está triste e frustrado, mas não disposto a ter mais prejuízos financeiros e emocionais para conseguir colocar o bloco na rua. Fizemos uma nota oficial com mais detalhes, que está disponível no link http://bit.ly/CancelamentoJuve

Uma publicação compartilhada por Juventude Bronzeada (@juventudebronzeada) em



Entenda o caso
 
Depois de entrevista coletiva concedida pelas autoridades de segurança público do Estado, nessa quarta (19), sessentea e seis blocos de rua de Belo Horizonte emitiram uma nota em que se indignam com as exigências do governo de Minas. Os blocos pontuam que o carnaval está em risco. "Arbritariedade do governo do Estado impede carnaval de BH", diz a nota. Para os blocos, as exigências apresentadas pelo Batalhão de Trânsito da Polícia Militar e pelo Detran-MG, são meramente formais e administrativas: a alteração da categoria nos documentos dos veículos para trio elétrico.
 
As autoridades, porém, alegam que os problemas vão desde falta de licenciamento do veículo ao não cumprimento da legislação federal, que determina a circulação de trios elétricos. 

A advogada de blocos da cidade Laura Diniz Mesquita afirma que é impossível regularizar a tempo e que os blocos atenderam às solicitações sobre segurança determinadas pela prefeitura, sendo que a maior parte foi aprovada pelos bombeiros. Alô Abacaxi, Pisa na Fulô, Garotas Solteiras e Tchanzinho Zona Norte podem ter dificuldade para sair ou podem ter o cortejo cancelado a qualquer momento. 




Publicidade