Publicidade

Estado de Minas

Carnaval: PRF vai usar bafômetro que detecta álcool ao se aproximar de motorista

A Operação Carnaval este ano vai usar o modelo passivo, em que condutores não precisam soprar o aparelho.


postado em 20/02/2020 12:25

Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez blitz educativa na manhã desta quinta-feira em Betim(foto: Edézio Ferreira/EM/D.A Press)
Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez blitz educativa na manhã desta quinta-feira em Betim (foto: Edézio Ferreira/EM/D.A Press)

A Operação Carnaval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Minas Gerais, estado com a maior malha viária do país, contará com 300 bafômetros para tirar do volante quem insistir em combinar álcool e direção. A novidade é que a corporação vai usar o modelo passivo, que não tem contato direto com o motorista.

O bafômetro passivo detecta se houve ingestão de álcool apenas pela proximidade. Dirigir alcoolizado é infração gravíssima, punida com suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), por 12 meses e multa de R$ 2.934,70. Quem se negar a fazer o teste também está sujeito à multa e apreensão do veículo.

De acordo com a corporação, 830 policiais participam da operação no feriado, que vai desta sexta-feira (21/2) até a Quarta-feira de Cinzas (26/2).

Na manhã desta quinta-feira, a PRF fez uma blitz educativa na Fernão Dias, na BR-381, em Betim, na região metropolitana de BH.

A PRF vai restringir o tráfego de bitrens, rodotrens, treminções, cegonheiras carregadas e veículos com cargas excedentes em rodovias federais de pistas simples, nos horários de maior movimentação de veículos.

Segundo a PRF, em 2019, nove pessoas morreram durante o carnaval em rodovias federais. Em 2018, esse número foi de 11 pessoas, a metade de 2017, quando houve 23 mortes.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade