Publicidade

Estado de Minas

Dengue: Minas tem alta de 3 mil casos, mas números inferiores a 2019

Saúde estadual divulgou novo boletim sobre a virose, com seis mortes investigadas. São 9.895 casos prováveis em Minas


postado em 11/02/2020 19:28 / atualizado em 11/02/2020 21:22

(foto: Pixabay/Divulgação)
(foto: Pixabay/Divulgação)

 
Minas registrou quase 3 mil novos casos prováveis de dengue em intervalo de uma semana, com o total de diagnósticos, entre suspeitos e confirmados, saltando de 6.988 para 9.895 entre o boletim anterior, do dia 4, e o levantamento divulgado ontem pela Secretaria de Estado de Saúde, que monitora também o avanço da febre chikungunya e do zika virus. No entanto, neste ano o avanço da dengue parece ocorrer com menos velocidade que no anterior, já que até 11 de fevereiro de 2019 haviam sido identificados 17.860 casos prováveis da virose no estado.
 
Quanto ao número de óbitos em investigação, houve acréscimo de um caso desde o último levantamento, com o total de suspeitas subindo de cinco para seis ocorrências. Nenhuma morte devido à doença foi confirmada até agora. Apesar da disparidade em número total de casos prováveis, considerando o quadro registrado neste ano e no mesmo período do ano passado, em 2020 há mais casos letais em apuração. Até os primeiros 11 dias de fevereiro de 2019, eram quatro mortes investigadas. 
 
Minas registrou no ano passado uma das piores epidemias de dengue da história. Apenas em janeiro de 2019 foram notificados 16.362 casos, enquanto janeiro de 2020 registrou 4.671 diagnósticos prováveis. Levando em conta apenas os números de casos com início de sintomas em fevereiro, a Saúde estadual registrou 641 novos casos prováveis, enquanto no ano passado, nesse mesmo período, a administração pública já tinha sido notificada sobre 1.498. No final do mês, o número chegou a 32.970. 
 
Ao todo, 19 municípios estão com incidência muito alta de dengue (mais de 500 casos por 100 mil habitantes). Dessas cidades, sete estão da Região do Vale do Rio do Doce, quatro no Vale do Jequitinhonha-Mucuri, três na Zona da Mata e na Região Central, e um caso no Norte e Centro-Oeste de Minas.
 
A cidade mais afetada até agora é Tocantins, na Zona da Mata. Por lá, 538 pessoas já estão entre os casos prováveis de dengue, 15 de Chikungunya e dois de Zika. A população do município é de 16.602 habitantes. No ano passado, nesse mesmo período a cidade não entrava nem na lista dos municípios com incidência de casos prováveis de dengue acima de 100 casos por 100 mil habitantes. Em 11 de fevereiro do ano passado, 28 cidades estavam na lista de municípios com alta incidência de dengue.

Outras viroses

 
Em relação à febre Chikungunya, o novo boletim epidemiológico também registra uma queda de casos em comparação com o ano passado. Até ontem, Minas analisava 202 casos, sendo três em grávidas. No ano passado, também no mesmo período, o estado registrou 317 notificações e, inclusive, investigava um óbito notificado em 2018. Na época, oito grávidas estavam entre os infectados.
 
Quanto ao zika vírus, em 2020 até ontem eram considerados 84 casos, sendo 12 em gestantes. Em 11 de fevereiro de 2019, 92 casos eram analisados e 26 grávidas estavam entre os possíveis infectados.


Publicidade