Publicidade

Estado de Minas

Mais de 54 mil continuam fora de suas casas por causa das chuvas em Minas

Segundo a Defesa Civil estadual, 45.390 cidadãos estão desalojados e 9.267 desabrigados no estado, todos vítimas das enchentes que atingiram Minas desde 24 de janeiro


postado em 03/02/2020 18:47

Deslizamento de terra destruiu uma casa em Ibirité, na Grande BH, onde cinco pessoas morreram (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Deslizamento de terra destruiu uma casa em Ibirité, na Grande BH, onde cinco pessoas morreram (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

 

As fortes chuvas que atingiram Minas Gerais desde o último dia 24 mantêm 54.657 pessoas fora de suas casas no estado. Dessas, 45.390 estão desalojadas e 9.267 desabrigadas. Os números são da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).


Segundo a Cedec, as mortes pelas chuvas são 69 desde o início do período chuvoso, em outubro do ano passado. Desde o dia 24 de janeiro, 58 pessoas perderam a vida ao serem arrastadas pelas enxurradas, afogadas ou vítimas de deslizamento – tudo relacionado às precipitações.


Belo Horizonte segue como o município com o maior número de óbitos, com 13. Houve soterramentos fatais na Vila Bernadete, na Região do Barreiro, e no Jardim Alvorada, no Noroeste da cidade.


Ainda na Região Metropolitana de BH houve seis mortes em Betim, cinco em Ibirité, duas em Contagem, uma em Nova Lima, uma em Esmeraldas e outra em Sabará.


No interior, os óbitos estão listados em 11 municípios da Zona da Mata: Luisburgo (cinco), Alto Caparaó (quatro), Alto Jequitibá (três), Simonésia (três), Pedra Bonita (três), Carangola (dois), Divino (um), Tabuleiro (um), Manhuaçu (um), Santa Margarida (um) e Tocantins (um).


Há, ainda, duas mortes computadas em Divinópolis (Centro-Oeste), uma em Conselheiro Lafaiete (Região Central) e outra em Olhos D'Água (Norte).


Calamidade e emergência


Além das vítimas, os estragos causados pelas chuvas já forçaram cinco cidades a decretar estado de calamidade pública em Minas Gerais: Muriaé (Mata), Orizânia (Mata), Ibirité (Grande BH), Taparuba (Vale do Rio Doce) e Catas Altas (Central).


Um decreto estadual também colocou 196 cidades em situação de emergência em Minas Gerais.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade