Publicidade

Estado de Minas

Chuva na Grande BH: abertura de comportas de barragem pode piorar situação de Raposos

Possível abertura das comportas da Barragem de Rio de Peixe, em Rio Acima, poderia aumentar ainda mais o nível do Rio das Velhas, provocando novas inundações em Raposos


postado em 24/01/2020 13:29 / atualizado em 24/01/2020 16:39

Bairro Várzea do Sítio em Raposos, na Região Metropolitana de BH(foto: Jair Amaral)
Bairro Várzea do Sítio em Raposos, na Região Metropolitana de BH (foto: Jair Amaral)

A dramática situação  de Raposos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte - município que já acumula mais de mil famílias desabrigadas por conta de desdobramentos da chuva intensa que atinge a Grande BH desde quinta-feira (23) - pode ficar ainda pior caso sejam abertas as comportas da barragem Rio de Peixe, em Rio Acima, a 25 km de distância. 

Segundo a secretária de Desenvolvimeto Social do município, Ana Mota, há previsão de que as comportas da barragem Rio de Peixe, em Rio Acima, que fica a 25 Km de Raposos,  sejam abertas à partir das 14h, já que a estrutura correria risco de transbordamento. Por volta das 16h, a secretária desfez essa informação. "Para nosso alívio, essa informação não procede. Ao longo do dia temos recebido muitas informações de vários lugares, algumas "fake news". Infelizmente muitas pessoas usam de má fé em um momento de crise como esse", informou.

Diferentemente do que foi apontado pela secretária municipal, ainda na tarde desta sexta-feira, a AngloGold Ashanti negou que a abertura das comportas estejam nos planos. Em nota, a empresa afirmou que "mantém monitoramento dos volumes do Sistema Hidrelétrico Rio de Peixe" e que "os níveis estão controlados e não está em discussão a abertura das comportas".
 
Com isso, o nível do Rio das Velhas, que receberia todo o volume de água liberado da represa, subiria ainda mais, provocando novas enchentes e alagamentos na cidade. 

"O cálculo é de que essa água leve cerca de uma hora e quarenta minutos para chegar até nós. Começamos a remoção das famílias localizadas nas áreas de risco na noite de ontem, mas ainda há moradores ilhados, porque o Corpo de Bombeiros foi embora pela manhã. Nós ainda aguardamos a chegada da nova equipe. Então, estamos, sim, apreensivos", afirma Ana Mota. 


Ainda de acordo com a Secretária, os moradores teriam sido treinados em março deste ano pela Vale acessar rotas de fuga. Na ocasião, por conta do aumento do risco iminente de rompimento da barragem B3/B4, da mina Mar Azul, situada em macacos. Os rejeitos dessa estrutura levariam uma hora e 46 minutos para alcançar Raposos. 



O bairro mais afetado pelos alagamentos do município é o Várzea do Sítio. As casas de todas as 300 famílias que habitam no local estão submersas. Apontada pela Defesa Civil como cidade mais afetada pelas chuvas em BH, Raposos já mobiliza uma espécie de força-tarefa para contornar os estragos provocados pelo temporal, composto pela Defesa Civil Estadual, Secretária de Estado de Meio Ambiente, entre outras autoridades.

Questionada pela reportagem, a Defesa Civil Estadual não informou quais providências serão tomadas para amenizar as consequências da possivel abertura das comportas da barragem de Rio de Peixe, nem como pretende orientar a população ilhada em Raposos. Afirmou, no entanto, que a situação está sendo monitorada.


Publicidade