Publicidade

Estado de Minas

Aihara publica mensagem de Natal com sobreviventes de Brumadinho: ''O nome disso é milagre''

Pela rede social Instagram, porta-voz do Corpo de Bombeiros durante a catástrofe publicou foto ao lado de homens que sobreviveram ao tsunami de lama dentro de uma caminhonete


postado em 21/12/2019 19:10 / atualizado em 21/12/2019 19:15

 

Com milhares de seguidores nas redes sociais, o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros mineiro, publicou uma mensagem de Natal emocionante neste sábado (21). Pelo Instagram, o militar escreveu um longo texto lembrando dos “milagres” ocorridos na tragédia de Brumadinho, na Grande BH, e postou uma imagem abraçado ao lado de Elias de Jesus Nunes, Sebastião Gomes e Walter, três sobreviventes da catástrofe.


“Nascimento de Jesus que quer dizer nascimento de amor, independente de qual for a sua crença. 330 dias ininterruptos de operação e a alguns dias do Natal, a gente vem pra essa terra de gente forte e batalhadora lembrar que não importa o tamanho da tragédia, o (re)nascimento do amor sempre acontece”, escreveu Aihara.


Ele também relembrou o “milagre” que salvou as vidas de Elias, Sebastião e Walter naquele 25 de janeiro de 2019. Funcionários da Vale, eles escoltavam trabalhadores terceirizados que fariam a sucção de uma fossa no momento em que a Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão se rompeu.

 

(foto: Reprodução/Instagram)
(foto: Reprodução/Instagram)
 

 

“Nasceram de novo flutuando em uma picape no meio de 10,5 milhões de metros cúbicos de lama. Alguns chamam de acaso, mas o nome disso é milagre”, disse o porta-voz dos bombeiros. “Quase 11 meses depois a gente vem se reencontrar aqui pra lembrar que a nossa fé nos ampara, guia e suporta em qualquer cenário”, completou.


A tragédia de Brumadinho completa 11 meses justamente no dia em que se comemora o nascimento de Jesus Cristo, na próxima quarta-feira.


Até a publicação desta matéria, a tragédia já deixou 257 mortes. Outras 13 pessoas seguem desaparecidas.


EM conta história do “milagre”

 

 


Em 1º de fevereiro, dias depois da tragédia, a reportagem do Estado de Minas se encontrou com Elias de Jesus Nunes e Sebastião Gomes para contar a história do salvamento deles dentro da picape.


“Nós estávamos acompanhando uma empresa terceirizada de prestação de serviço. Na hora do rompimento, quando a gente ouviu o barulho, eu pensei que seria um descarrilamento de vagão, mas quando cheguei para olhar já vi que era o rompimento da barragem. Falei para o Sebastião para gente correr e entrar na caminhonete para tentar sair do local”, contou Elias.


“Eu falei para o Elias e com seu Antônio que parecia a explosão do pneu de um caminhão de grande porte na estrada. O barulho foi muito forte. Depois que eu percebi que o barulho era mais forte ainda. Mas deu o segundo estrondo e o Elias falou: 'Não, Sebastião. Não é, não. Isso é o vagão que descarrilou. Parece, né?'. Nós olhamos e demos de cara com a lama, já. O Elias já correu para a caminhonete. Eu não corri para a caminhonete. Eu saí correndo para o outro lado. Ai, o Elias gritou: 'Corre, Sebastião, vem para a caminhonete, senão você vai morrer'. Eu corri para a caminhonete”, disse Sebastião.

 

Com Gladyston Rodrigues, João Henrique do Vale e Márcia Maria Cruz 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade