Publicidade

Estado de Minas

Gerente da Caixa Econômica no Sul de Minas é preso suspeito de extorsão

Homem extorquia dinheiro e exigia vantagens de empresários do ramos de segurança privada. Se condenado, pode pegar até 38 anos de prisão


postado em 16/12/2019 11:38 / atualizado em 16/12/2019 12:02

(foto: Polícia Federal/Divulgação)
(foto: Polícia Federal/Divulgação)
Um gerente da Caixa Econômica Federal em Varginha, no Sul de Minas, foi preso na manhã desta segunda-feira (16) pela Polícia Federal (PF) suspeito de integrar um esquema de extorsão. Além dele, um empresário também foi detido e outro estava com mandado de prisão preventiva em aberto. Os investigados responderão pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e associação criminosa. Se condenados, poderão cumprir 38 anos de reclusão, além de pagar multa.

 

Segundo a PF, o gerente era responsável pela elaboração de editais de licitação, contratação e fiscalização dos serviços de empresas de segurança privada que atuavam nas agências da instituição em Minas. Nessa função, ele extorquia dinheiro e exigia vantagens dos empresários, sob a ameaça de não liberar os pagamentos pelos serviços. Somente uma única empresa teria pago cerca de R$ 1 milhão como propina.

 

O gerente da Caixa também receberia valores para permitir irregularidades na execução dos contratos. Só uma das empresas investigadas, por exemplo, teria falsificado guias de recolhimento de FGTS. Os comprovantes bancários continham autenticações mecânicas falsas e os valores não eram depositados nas contas dos empregados. Há suspeitas ainda de não recolhimento, nos mesmos moldes, de valores devidos a título de INSS.

 

A polícia também tenta identificar e apreender bens que possivelmente tenham sido comprados pelo gerente com o dinheiro da extorsão. Dentre os bens, há imóveis, automóveis e uma embarcação de luxo, todas registradas em nome de terceiros, supostamente para tentar ocultar a origem ilícita do patrimônio.

 

Essa é a segunda fase da Operação Saruman, deflagrada inicialmente em 12 de novembro. Desta vez, a Polícia Federal cumpriu 11 mandados de busca e apreensão, sendo três em Varginha, dois em Uberaba, um em Belo Horizonte, um em Poços de Caldas, além de dois em Goiânia (GO) e dois em Ribeirão Preto (SP).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade