Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil apreende 67 adolescentes envolvidos com roubo, tráfico e homicídio

Na capital, foram 10 jovens, uma menina de 17 anos, investigada por roubo, e outro adolescente envolvido em homicídio


postado em 21/11/2019 16:59 / atualizado em 21/11/2019 17:33

Delegada Elenice Cristine Batista Ferreira, chefe da Divisão Especializada em Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad)(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Delegada Elenice Cristine Batista Ferreira, chefe da Divisão Especializada em Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad) (foto: Polícia Civil/Divulgação)

Uma operação da Polícia Civil apreendeu 67 adolescentes nesta quinta-feira em todo estado. Denominada “Sonho Interrompido”, foram cumpridos mandados de busca e apreensão à adolescentes envolvidos em investigações de atos infracionais graves, como roubo, tráfico de drogas e homicídio.

Em Belo Horizonte, as ações coordenadas pelo Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família (Defam) localizaram dez adolescentes, entre 13 e 18 anos. Entre os apreendidos, uma menina de 17 anos, investigada por roubo, e outro adolescente envolvido em um homicídio.

A chefe da Divisão Especializada em Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad), delegada Elenice Cristine Batista Ferreira, destaca que “a operação visa otimizar e concluir com a máxima celeridade os procedimentos em andamento que envolvem menores infratores”. Ainda segundo a delegada, a maioria dos adolescentes apreendidos tinha outras passagens policiais.

As apreensões na capital aconteceram nos bairros Jonas Veiga, Conjuntos Santa Maria, Paulo VI e Jatobá, Milionários, Industrial, Vila São Paulo, São Geraldo, Cabana Pai Tomás e Serrano. “Temos notícia de vários envolvimentos de menores infratores, em especial na Região do Barreiro e Venda Nova”, destaca a delegada.

A ação contou com cerca de 150 viaturas empenhadas e mais de 480 policiais civis envolvidos em todo o estado de Minas Gerais. Os atos infracionais praticados por adolescentes preveem como medidas socioeducativas a internação e a semiliberdade.
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


Publicidade