Publicidade

Estado de Minas

Polícia indicia dona de creche e cuidadoras por morte de bebê, no Barreiro

Vítima morreu asfixiada pelo próprio vômito. Elas serão indiciadas por homicídio culposo - quando não há intenção de matar


postado em 18/11/2019 17:43 / atualizado em 18/11/2019 18:12

A dona da creche e duas cuidadoras serão responsabilizadas pela morte de um bebê de 1 ano em um jardim de infância no Barreiro, em Belo Horizonte, em agosto deste ano. Elas serão indiciadas por homicídio culposo – quando não há intenção de matar – após a polícia identificado negligência no cuidado com a criança. As informações foram repassadas em coletiva de imprensa nesta segunda-feira.

Segundo a delegada responsável pelo caso Virgínia Salgado e Bittar, o laudo apontou que vítima morreu asfixiada pelo próprio vômito. “Foi feita a análise dos pulmões dele e foram encontrados resíduos de material vegetal”, informou.

Ela ainda explicou que na data do fato, em 27 de agosto, nada parecia sair da rotina da criança. "O almoço foi dado às 11h30. Ele recebeu a papinha normalmente e, posteriormente, brincou. Antes de dormir, comeu uma fruta que a mãe mandou e tomou a mamadeira", disse a delegada.

Assim, a criança dormiu de 15h50 até às 17h. Nesse tempo, houve a troca de turno das cuidadoras e, só na hora do banho, uma delas percebeu que a criança não apresentava reflexos. "Foi aí que detectamos a negligencia. A criança passou mais de uma hora dormindo e ninguém foi verificar. A creche deveria oferecer um cuidado reforçado", concluiu.

No dia do ocorrido, as cuidadoras cuidavam de outras seis crianças. No total, o lugar atendia cerca de 30 crianças. A creche funcionava no Barreiro desde 2011 e todas as licenças estavam em dia quando o fato ocorreu. "Nenhuma outra ocorrência aconteceu no local desde então", acrescentou.


Publicidade