Publicidade

Estado de Minas

Menino de 10 anos é brutalmente assassinado e tem o corpo queimado em Minas

Corpo de Carlos Daniel Pereira dos Santos foi encontrado em mata na zona rural de Indaiabira, na Região Norte


postado em 16/11/2019 12:39 / atualizado em 16/11/2019 13:26

(foto: PMMG/ Divulgação)
(foto: PMMG/ Divulgação)

Um crime bárbaro chocou moradores do Norte de Minas Gerais. Um garoto de 10 anos foi assassinado e teve o corpo queimado. A vítima, Carlos Daniel Pereira dos Santos, desapareceu na última quinta-feira depois de sair da escola. O corpo do menino foi encontrado nessa sexta-feira em um matagal. A Polícia Militar (PM) faz levantamentos para identificar o suspeito do crime.

Buscas estavam sendo feitas por moradores de comunidades localizadas na zona rural de Indaiabira desde quinta-feira. Familiares informaram que o garoto desapareceu depois de pegar um ônibus na volta da escola. Segundo o boletim de ocorrência da PM, os parentes informaram que ele sempre voltava junto com uma colega e seguia direto para casa.

Na quinta-feira, foi diferente. Depois de seguir com a colega até a casa dela, ele não chegou na casa dele. Os moradores então começaram as buscas.

Na madrugada de sexta-feira, dois moradores encontraram pistas do Carlos Daniel próximo a uma cerca. Eles seguiram as pegadas e, aproximadamente 50 metros à frente, encontraram o corpo carbonizado.

 

Os restos mortais da criança foram encaminhados pela Perícia da Polícia Civil ao Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros.

Contradições


O caso está cercado de mistério. Um dos suspeitos do crime, segundo a PM, é o irmão de criação da vítima. Na quinta-feira, conforme o Boletim de Ocorrência, o homem contou que não estava em casa no horário em que normalmente Carlos Daniel chegava da escola. Quando voltou por volta das 15h, estranhou o sumiço de Carlos e acionou os vizinhos.

No fim da tarde de sexta-feira, os militares voltaram à comunidade para buscar mais informações sobre o caso. Nas diligências, testemunhas contaram que o irmão da vítima não foi trabalhar no dia do crime. A informação contradiz a versão apresentada pelo irmão. Segundo o boletim de ocorrência, o homem comprou um litro de gasolina com um morador da comunidade.

Segundo a PM, a mãe do garoto desaparecido afirmou que Carlos foi morar na comunidade há três meses, pois ele tinha quebrado o vidro de um veículo e o proprietário o ameaçou de morte.

Testemunhas também denunciaram aos policiais que o atual companheiro da mãe de Carlos Daniel teria cometido abusos sexuais contra ele e outras irmãs. Segundo a PM, a mulher confirmou que tem conhecimento desses crimes. Ela contou, ainda, como consta no boletim de ocorrência, que o homem estava em outra cidade quando o filho dela desapareceu.


Publicidade