Publicidade

Estado de Minas

Raio atinge tanque de etanol em Minas e chamas já duram mais de 24 horas

Até a tarde desta quinta-feira, aproximadamente 40% do líquido inflamável do tanque de usina em Ituiutaba havia sido consumido; bombeiros monitoram, mas fogo só deve acabar quando houver a queima total do combustível


postado em 07/11/2019 18:07 / atualizado em 07/11/2019 18:32

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Um raio que atingiu um tanque de etanol da Usina BP Combustíveis, em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, provocou um incêndio de grandes proporções. O Corpo de Bombeiros fez o resfriamento do tanque assim que chegou Ao local, por volta das 18h de quarta-feira. Segundo a corporação, jatos de água automáticos foram acionados e militares seguem monitorando as chamas até acabar a queima do combustível.

A empresa fica em uma área rural. Alguns funcionários tentaram conter as chamas até a chegada das equipes, depois foram dispensados devido ao perigo de trabalhar próximo ao local. Ninguém ficou ferido.

De acordo com os bombeiros, o tanque atingido pela descarga atmosférica armazenava 20 milhões de litros de etanol. Quando os militares chegaram ao local, realizaram um trabalho de contenção com espuma química para que o incêndio fique confinado somente em um dos quatro tanques existentes.

Nesta quinta-feira, a situação ficou sob controle. Os militares monitoram e fazem a contenção do incêndio que se concentra em um dos quatro tanques de armazenamento de etanol. Segundo o Corpo de Bombeiros, ao todo, são 60 milhões de litros de etanol estocados, sendo dois tanques de 20 milhões de litros e dois tanques de 10 milhões de litros.

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)


De acordo com a avaliação da corporação, foram consumidos aproximadamente 40% do líquido inflamável do tanque, e o fogo só deve acabar quando houver total queima do combustível.

Órgãos ambientais foram acionados pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais para análise da situação.
 
* Estagiária sob supervisão da edidota-assistente Vera Schmitz.


Publicidade