Publicidade

Estado de Minas

Até na telinha: Defesa Civil enviará alertas de fenômenos meteorológicos também pela TV

Para tentar diminuir riscos provocados por desastres naturais, Defesa Civil enviará alertas aos cerca de 500 mil assinantes de TV de BH


postado em 19/09/2019 09:32 / atualizado em 20/09/2019 15:27

(foto: Defesa Civil/Divulgação)
(foto: Defesa Civil/Divulgação)
Os cerca de 500 mil assinantes de TV por assinatura de Belo Horizonte receberão, a partir de segunda feira (23), alertas preventivos de chuvas fortes, granizo, tempestades, vendavais e outros fenômenos meteorológicos na telinha da televisão.  O objetivo é atuar de forma preventiva, comunicando a população, que, através da percepção do risco, pode adotar medidas de proteção.

O trabalho está sendo adotado em todo país, por meio de uma parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Regional, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil de cada município.
 
A Defesa Civil de BH já monitora as condições climáticas que podem gerar algum tipo de risco à população e emite alertas no Twitter e por SMS. Agora, na TV, o serviço será amplificado. É o que explica o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas: “A ampliação dessa iniciativa é muito importante para aumentarmos o alcance dos nossos alertas. Assim, poderemos atingir um grau de resiliência maior. Esse é mais um instrumento para que possamos preservar vidas humanas e minimizar prejuízos econômicos decorrentes de desastres naturais”. explica.

Como funciona o envio

O serviço será disponibilizado para assinantes de TV das prestadoras Claro (NET), Vivo, Oi e Sky. Não é preciso realizar qualquer cadastro para receber as notificações de emergência. A mensagem de alerta aparecerá através de uma imagem sobreposta à tela e terá a duração de dez segundos. O formato e a opção de fechá-lo podem variar de acordo com a prestadora, o modelo do equipamento (decodificador) e o plano contratado. O serviço não pode ser cancelado.
 
* Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira 


Publicidade