Publicidade

Estado de Minas

Menino de 3 anos morre após ser picado por escorpião em Minas

Criança estava internada desde ontem, mas não resistiu ao veneno do animal peçonhento. Hospital registra alta de casos neste ano


postado em 10/09/2019 19:31 / atualizado em 10/09/2019 20:34

(foto: Divulgação/Ministério da Saúde)
(foto: Divulgação/Ministério da Saúde)

Foi sepultado, no início da tarde desta terça-feira (10), no Cemitério Parque Santa Lúcia, em Bocaiúva, no Norte de Minas, o corpo do menino G. G. P, de 3 anos. Ele morreu na tarde de segunda (9), após ser picado por um escorpião em sua casa, também localizada no município.

Ele foi levado para o Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), em Montes Claros, onde faleceu. Na pediatria do mesmo hospital, segue internada uma outra criança, integrante de uma família moradora da zona rural de São Francisco (mesma região), também vítima da picada do animal peçonhento.  Ela recebe os cuidados da equipe multidisciplinar da unidade hospitalar, que é vinculada à Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). 

Referência no atendimento a vítimas de animais peçonhentos na região, o Hospital Universitário Clemente de Faria informou que, de janeiro a agosto deste ano, recebeu 1.792 casos de pessoas picadas por escorpiões, quantidade 2,8% superior ao número de casos no mesmo período de 2018 (1.742).

Somente nos primeiros nove dias de setembro, o HUCF atendeu 64 vítimas de ataques do aracnídeo. 

O menino de Bocaiuva foi a terceira morte de criança causada por escorpião no Norte de Minas em menos de 10 meses. Em dezembro, um menino, natural de Várzea da Palma, vítima do animal peçonhento, não resistiu após dar entrada no HUCF. 

Em janeiro deste ano, a unidade hospitalar registrou a morte de um menino de 12 anos, procedente de Porteirinha. 

O garoto G. G. P recebeu o primeiro atendimento na madrugada de segunda-feira, no Hospital Regional Doutor Gil Alves, em Bocaiuva. Com a gravidade do caso, a vítima foi transferida para o Hospital Universitário Clemente Faria, em Montes Claros (a 50 quilômetros de Bocaiuva). 

Por meio de nota, o HUCF informou que foram adotados “todos os procedimentos e cuidados médicos necessários para o tratamento” do caso. “Porém, com pesar, informamos que o menor não resistiu e veio a óbito em decorrência das complicações desencadeadas pela picada do animal peçonhento”, diz a nota.


Publicidade