Publicidade

Estado de Minas RELIGIÃO

Festa católica marca semana em Matozinhos

Celebrações do Grande Jubileu do Senhor Bom Jesus vão até o dia 15 na cidade mineira, com procissão luminosa no sábado e chegada de romeiros no domingo


postado em 10/09/2019 06:00 / atualizado em 10/09/2019 08:27

Matriz do Senhor Bom Jesus de Matozinhos: festa vai até domingo(foto: Jorge Gontijo/EM/D.A Press - 25/3/11)
Matriz do Senhor Bom Jesus de Matozinhos: festa vai até domingo (foto: Jorge Gontijo/EM/D.A Press - 25/3/11)

A comunidade católica de Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, está em festa. Até o dia 15, será celebrado o Grande Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matozinhos, desta vez com o lema Vocês são o sal da terra e a luz do mundo (Mt 5, 13-14). Segundo o vigário paroquial, padre José Estêvão de Paiva, são esperadas milhares de pessoas, de forma especial nos dois últimos dias. “Será um momento para fortalecer a fé, rezar e participar das missas. Estaremos aqui, durante o dia, para atender confissões e orientar os fiéis”, disse o padre José Estêvão.

A abertura ocorreu no fim de semana, na Matriz do Senhor Bom Jesus de Matozinhos, no Centro cidade distante 13 quilômetros do Aeroporto Internacional de Confins. Vinculada à diocese de Sete Lagoas, a Paróquia do Senhor Bom Jesus tem uma tradição de mais de 100 anos, que inclui procissão com a imagem do padroeiro, bênção e missas.

Hoje, haverá missas às 7h e às 19h e, amanhã, às 7h, 9h, 15h e 19h. Na noite de sábado, a procissão luminosa percorrerá as ruas do Centro da cidade. O encerramento será no domingo, com a chegada dos romeiros e muita festa na cidade, em especial na matriz edificada, entre 1918 e 1924, pelo padre Sebastião Scarzello.

História


Segundo os historiadores, no início do século 18, com a morte de Fernão Dias Paes (1608-1681), a bandeira passou a ser chefiada por dom Rodrigo de Castelo Branco – houve discórdia e os remanescentes se dispersaram. Então, eles procuraram as melhores terras para se instalar e chegaram à região onde hoje é Matozinhos. Um documento divulgado pelos organizadores do Grande Jubileu informa que muitos dos remanescentes da bandeira eram da cidade portuguesa de Matosinhos, de onde trouxeram a imagem do padroeiro e fé. O nome, então, foi “batizado” Matozinhos, embora com a letra zê no lugar do esse.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade