Publicidade

Estado de Minas

'Braço direito' de um dos maiores traficantes de Minas é preso em Ouro Preto

Segundo a Polícia Civil, Alisson Roberto da Silva atuava junto com Sonny Clay Dutra, de 38 anos, preso durante uma partida de futebol em maio deste ano


postado em 02/09/2019 16:12 / atualizado em 02/09/2019 16:23

Durante as investigações, Polícia Civil apreendeu mais de R$ 1 milhão com os criminosos(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Durante as investigações, Polícia Civil apreendeu mais de R$ 1 milhão com os criminosos (foto: Polícia Civil/Divulgação)

Mais um duro golpe no tráfico de drogas foi dado pela Polícia Civil em Minas Gerais. Equipes do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp) prenderam Alisson Roberto da Silva, o principal comparsa de Sonny Clay Dutra, de 38 anos, considerado um dos maiores traficantes de pasta base de cocaína de Minas Gerais. Investigações apontam que Sonny movimenta quantias em dinheiros nunca vistas pela corporação: movimentação financeira que ultrapassa R$ 30 milhões em Minas Gerais e que ultrapassam mais de R$ 100 milhões em nível nacional.

A terceira fase da operação que apura o tráfico de drogas foi deflagrada na última semana. Segundo a Polícia Civil, Alisson foi preso em Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais. Contra ele, existia um mandado de prisão. As investigações apontam que Alisson atuava junto com Sonny nos crimes de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. O homem foi levado para o Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) Gameleira, em BH, onde está à disposição da Justiça.

As operações sobre as inveestigações de tráfico de drogas, tiveram início em maio deste ano. Na primeira fase, a Polícia Civil prendeu quatro pessoas. Na ocasião, foi apreendido mais de R$ 1 milhão em dinheiro vivo, que era transportado pelos envolvidos no momento da abordagem. Com eles, a corporação ainda encontrou quatro veículos: um Honda Civic, uma Mercedes C180, um Volkswagen Voyage e um Ford Focus. Os suspeitos ocultavam o dinheiro e, posteriormente, simulavam que o lucro era proveniente de trabalhos lícitos, como, por exemplo, a compra e a venda de automóveis.

O chefe da organização criminosa, que financiava o time Penharol de Ouro Preto, foi preso durante a partida de futebol da equipe dentro da operação "Embrião". As investigações conseguiram demonstrar a ligação do chefe do grupo apontado como responsável pela distribuição de drogas nos municípios de Mariana, Ouro Preto, Carmo da Cachoeira, além de diversos aglomerados em Belo Horizonte. "Sonny é um traficante de muita experiência. Já foi preso em outras três oportunidades. Já residiu na região de fronteira com o Paraguai. É o líder dessa associação criminosa e muito procurado pelas forças policiais", disse, na época da prisão, o delegado Marcus Lobo Leite Vieira.
 


Publicidade