Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura e construtora negam demolição de casa de Guimarães Rosa em BH

Fundação Municipal de Cultura informou que imóveis estão sendo restaurados com diretrizes que preservam e valorizam os imóveis; construtora diz que obras devem durar dois anos


postado em 25/07/2019 12:13 / atualizado em 25/07/2019 12:26

(foto: Reprodução Facebook Juliana Duarte)
(foto: Reprodução Facebook Juliana Duarte)

A Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte (FMC-BH) e a construtora Canopus negam que a casa onde viveu o escritor Guimarães Rosa, na capital, esteja sendo demolida. O imóvel fica na esquina das ruas Leopoldina e Congonhas, no Bairro Santo Antônio, na Região Centro-sul, e faz parte de um conjunto de 13 casas tombadas pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município

 

De acordo com a nota enviada pela FMC, os imóveis "foram tombados pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município – CDPCM em 22/08/2007, com publicação no DOM em 30/08/2007. O Conselho aprovou projeto de restauração elaborado pela Construtora Canopus para o local, com uma série de diretrizes que preservam e valorizam o imóvel. O projeto está sendo executado. Nenhuma casa foi demolida - todas estão sendo restauradas de acordo com projeto aprovado pelo Conselho". 

 

De acordo com o diretor de marketing e vendas da Canopus, Tarcio Barbosa, as casas serão restauradas e, no mesmo terreno, será construído também um prédio de 25 andares de apartamentos, que terá entrada independente, pela Rua São Domingos do Prata. "Fizemos um acordo com a prefeitura e o permutante do terreno que, para construir o prédio, temos que restaurar as casas. Agora, começamos com a limpeza do terreno. A obra de restauração só começará mais tarde, depois da do prédio, pois exige mão de obra mais qualificada", afirma. 

 

Ainda de acordo com Tarcio, para que ele possa conseguir o habite-se (autorização dada por órgão municipal permitindo que o imóvel seja ocupado), ele precisa entregar as casas restauradas. "Todo o processo deve demorar em torno de dois anos. Vamos entregar as construções juntas, tanto o prédio, quanto a restauração das casas", revela. 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade